acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Petróleo

Blocos terão bases flutuantes

02/09/2008 | 05h26

A Petrobras vai construir bases flutuantes a meio caminho entre a costa terrestre e os blocos exploratórios do pré-sal da Bacia de Santos para tornar viável o desenvolvimento dessas áreas, localizadas a cerca de 300 quilômetros da costa. "Seria uma saída para os problemas logísticos que vamos enfrentar devido à distância", disse o gerente para a área do pré-sal da Petrobrás, José Formigli.

 

A distância representa dificuldades tanto no transporte de funcionários que atuam nas plataformas quanto em relação à retirada e distribuição do óleo e do gás natural produzidos na região. Segundo Formigli, estes terminais poderão estocar óleo diesel e serão pontos de abastecimento de combustível para os helicópteros de apoio. Além disso, poderão servir para processar o gás natural em alto-mar.

 

"A idéia é que estas bases sirvam para reduzir o impacto que as atividades do pré-sal terão sobre os portos na costa brasileira." Segundo ele, ainda não há uma definição sobre qual cidade servirá de base de apoio às operações do pólo de Tupi. "O mais provável é que deveremos usar várias bases."

 

A Petrobras deve definir até o fim deste ano o número de navios-plataformas que serão utilizados no desenvolvimento de Tupi, e também a forma de processamento e transporte do gás natural produzido na área. Com relação aos modais de gás utilizados no pré-sal, Formigli adiantou que são estudadas formas de liquefação e de compressão do gás, além da construção de gasodutos. "Não há a expectativa de uma alternativa em substituição à outra. Serão todas integradas."

 

DUTOS

 

A idéia, disse Formigli, passa pela construção de dutos que poderiam ligar os terminais até uma nova unidade de processamento também instalada em alto-mar. Outra alternativa seriam unidades de liquefação que preparariam o gás para ser exportado para outros países em navios.



Fonte: O Estado de S. Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar