acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Eólica

BID financiará parques da Impsa

17/11/2011 | 11h04
A multinacional de origem argentina Impsa vai receber US$ 150 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a construção de quatro parques eólicos na América Latina, sendo três deles no Brasil. Os projetos agregarão 481 megawatts (MW) de capacidade instalada ao país.
 

O financiamento faz parte do objetivo do BID de aumentar o apoio para projetos de energia renovável no continente. Nos próximos anos, a meta é chegar a US$ 3 bilhões de empréstimos para o segmento. Além disso, o banco pretende fazer com que 25% dos recursos sejam direcionados ao segmento até 2015. Hoje, esse número é de 5%.
 
 
Esse é o primeiro projeto privado de energia eólica financiado pelo BID no Brasil. Para John Graham, diretor de equipe do projeto no banco, há pouca demanda por financiamentos no país devido à força de empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "Esperamos que nossos empréstimos no país cresçam nos próximos anos, devido ao aumento da demanda por projetos de energia", diz. Segundo ele, o banco tem mantido conversas no momento sobre financiamentos com empresas brasileiras do setor.
 
 
O empréstimo para a Impsa atenderá dois projetos no Estado do Ceará, com 211 MW e 150 MW, e um no Rio Grande do Norte, de 120 MW. Os parques estão entre os vencedores dos últimos leilões do governo federal para geração de energia.
 
 
O financiamento para os projetos brasileiros será recebido pela Wind Power Energia, empresa controlada da Impsa (55% das ações) e com participação do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FI-FGTS (45% das ações).
 

O empréstimo do BID também atenderá a um projeto no Uruguai, com capacidade de 65 MW. O parque, chamado El Libertador, representará 13% da meta do país de ter 500 MW de capacidade instalada de geração de energia eólica durante os próximos cinco anos.
 

Para Julio Dreizzen, diretor financeiro da Impsa, embora o montante do BID financie apenas 10% do custo total dos quatro projetos, a operação traz a vantagem de servir como uma espécie de atestado de qualidade para negociar novas captações. "Os projetos financiados pelo BID cumprem uma série de requisitos, e isso dá confiança a novos investidores", diz.
 

O BID também fornecerá à Impsa assistência técnica para realizar auditoria de eficiência energética em sua fábrica de turbinas hidráulicas e eólicas. O estudo tem como objetivo a redução de custos de energia e de emissões de gases causadores do efeito estufa.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar