acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Barbassa deve ser diretor financeiro da estatal

25/07/2005 | 00h00

 O novo presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, informou que só falta a aprovação do conselho de administração da companhia para que Almir Barbassa seja confirmado diretor financeiro da estatal. Ele está ocupando o cargo interinamente, depois de ter o nome aprovado pelo conselho da companhia que se reuniu rapidamente na sexta-feira, antes da posse de Gabrielli, que aconteceu na Refinaria Duque de Caxias (Reduc) na presença do presidente Lula.
Segundo Gabrielli, no que depender dele Barbassa será efetivado na próxima reunião do conselho, marcada para sexta-feira, quando também será apreciado o Plano Estratégico 2005-2011. A gerência executiva de finanças corporativas está sendo comandada por Daniel Oliveira, também técnico da estatal. "A equipe está montada e funcionando regularmente. Não tem nenhum problema", disse Gabrielli.
A cerimônia de transmissão de cargo aconteceu em meio a um palanque e com discursos exaltados mostrando a evolução dos números da Petrobras desde 2002. Tanto o ex-presidente José Eduardo Dutra - que vai concorrer ao Senado em 2006 - como o presidente Lula comentaram a resistência do mercado à indicação de Gabrielli, em 2003.
"Como eu não tinha nenhuma relação de amizade com o mercado, decidi indicar meu companheiro Gabrielli. Agora com orgulho o indiquei para presidente da Petrobras porque se transformou em um dos mais importantes diretores financeiros que a Petrobras já teve em sua história", disse Lula.
Em um balanço de sua gestão, que durou dois anos e meio, José Eduardo Dutra lembrou que reintegrou 607 trabalhadores da Petrobras, Petromisa e Interbrás que tinham sido demitidos na década de 90. A Petrobras aprovou, em Assembléia Geral Extraordinária na sexta-feira, o desdobramento das ações da companhia em 300%. Quem tiver uma ação em 31 de agosto vai ganhar outras três novas ações, ficando com quatro.
O desdobramento passa a valer a partir de 1º de setembro, quando a relação entre os American Depositary Receipts (ADR) e as ações no Brasil - atualmente de uma ação para cada um ADR - será alterada para quatro ações por ADR. "O objetivo disso é fazer com que mais gente possa ser acionista da Petrobras", explicou Gabrielli.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar