acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Brasil Offshore 2017

Balanço do evento: expectativas positivas e otimismo para o mercado offshore no Brasil

29/06/2017 | 09h21
Balanço do evento: expectativas positivas e otimismo para o mercado offshore no Brasil
TN Petróleo TN Petróleo

Durante quatro dias a cidade de Macaé foi palco para geração de muitos negócios e networking para o mercado de petróleo e gás. Para o público, as empresas e seus representantes, a 9ª edição da Brasil Offshore alcançou resultados bastante positivos e trouxe boas perspectivas para o cenário econômico nacional. Durante toda a feira, a Brasil Offshore reuniu 550 marcas expositoras e 53.481 visitantes circularam no Centro de Convenções Roberto Marinho.

Nesta edição, a feira trouxe um público mais qualificado tanto em expositores quanto em visitantes. O público visitante contou com a presença de compradores com efetivo poder de decisão e capacidade para concretizar negócios em toda a cadeia produtiva do setor. Em um cenário de reaquecimento da indústria, o networking da feira proporcionou que os profissionais do setor entrassem em contato com novas tecnologias, produtos e serviços para otimizar os negócios. “A experiência foi ótima. Marquei diversas reuniões e tive acesso a empresas que apenas se deu porque estivesse presente na feira”, destaca Daniel Fiorito, gerente técnico comercial da Metalúrgica Vulcano.

Para Igor Tavares, diretor da Brasil Offshore, o ano de 2017 está sendo essencial para reaquecer a indústria de óleo e gás. “Com um cenário diferente, que inclui mudanças nas regras do pré-sal, como a permissão de outras operadoras no processo de exploração e a mudança do regime de partilha para concessão, as empresas precisam repensar suas estratégias para aplicar investimentos e, estar entre líderes desse mercado é fundamental para realizar bons negócios”.

Feira supera as expectativas das marcas expositoras

Alguns expositores estavam na feira pela primeira vez e se surpreenderam com a qualidade do público. “A Brasil Offshore atendeu todas as expectativas. O mercado se mostrou muito otimista e bons negócios foram fechados”, pontua o vice-presidente da Chromalox Inc., Christopher Molnar. A vinda para o Brasil certifica a parceria com empresas locais e o fortalecimento da marca a nível global.

Para o diretor técnico da Technoheat, Fabio Yamasaki, a participação na Brasil Offshore projetou cerca de U$2,5 a 3 milhões para os próximos doze meses. “Encontramos um público especializado e que procurava pelas soluções que oferecidas pela Technoheat”.

“A Brasil OffShore está sendo muito produtiva para a Wärtsilä Brasil. Realizamos diversas reuniões com clientes nesses últimos dias, fizemos network, agendamos visitas. Todos os stakeholders da empresa estão presentes, o departamento comercial, técnico de suporte, time de serviços. Portanto, ao visitar os clientes estamos com todo o time integrado. Também aproveitamos este tipo de evento para conhecer as estratégias de negócios dos nossos fornecedores”, afirma Luiz Felipe Nazário, gerente de operações field services.

Inovações e novas tecnologias chamaram a atenção do público

A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) esteve presente junto com os cinco Polos de Inovação dos Institutos Federais, incluindo o Polo de Inovação Campos dos Goytacazes do IFFluminense – Embrapii. Foram apresentados os projetos inovadores da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, e também houve a divulgação de atividades e prospecção de parcerias por parte dos Polos de Inovação dos Institutos Federais (IFFs).

“O evento consiste em uma oportunidade de relacionamento e contato com centenas de empresas das áreas industriais e de serviços de um segmento que é grande absorvedor de mão de obra das áreas da Educação Profissional, Científica e Tecnológica, parceiro em projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e, também, absorvedor de serviços tecnológicos”, destaca Rogério Atem.

Rodadas de negócios surpreendem pelo volume de investimento acumulado

Organizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE/RJ), a Organização Nacional da Indústria do Petróleo (ONIP) e a Firjan, a Rodada de Negócios foi um excelente instrumento de aproximação entre compradores e fornecedores de diferentes bens e serviços para o setor.

Nesta edição, as rodadas contaram com 17 empresas âncoras – Air Liquide, Alphatec, Baker Hughes, BW Offshore, Estaleiro Mauá, Forship, Huisman, NUCLEP, Petrobras UO-BC, Porto do Açu, Queiroz Galvão, Shell, Sotreq, Subsea7, TechnipFMC, Transpetro e Tridimensiona – e 154 empresas fornecedoras.

Esses encontros geraram um volume de 370 reuniões e uma expectativa de mais de R$ 142 milhões em negócios futuros, segundo os próprios compradores das âncoras presentes. Além desses números, 90% dos participantes avaliaram as reuniões como ótimas, demonstrando que esse instrumento de mercado do SEBRAE é uma excelente opção para que às micro e pequenas empresas possam acessar empresas de grande porte num mesmo ambiente e de forma efetiva.

Conferências técnicas qualificaram os visitantes

Os encontros realizados ofereceram um espaço para dialogar sobre as oportunidades do setor e apresentar as mais recentes tecnologias e serviços que beneficiam o mercado.

“Tivemos a oportunidade de apresentar aos visitantes e expositores da Brasil Offshore os impactos do projeto (BEPS) para os seus negócios. Apesar da complexidade do tema, é fundamental que os empresários e, principalmente as multinacionais, avaliem o impacto dessa nova regra em seus negócios, do ponto de vista operacional e tributário. Destacamos em nossa apresentação os três pontos principais do BEPS que são Transparência, Coerência e Essência dos Negócios. Em relação ao evento em geral, vejo como uma boa oportunidade de impulsionar e gerar novos negócios para o setor de óleo e gás que busca se recuperar após a crise econômica e política dos últimos anos que acabou travando os investimentos neste segmento”, Murilo Pires, líder de Tax Compliance da Grant Thornton.

Sobre a Brasil Offshore 2017

A Brasil Offshore realizou-se no Centro de Convenções Roberto Marinho em Macaé (RJ), entre os dias 20 e 23 de junho. É o único evento que acontece dentro da Bacia de Campos e consiste no primeiro grande encontro da indústria do ano. Em um ambiente essencialmente técnico e direcionado aos negócios, os profissionais do setor descobrem as novas tecnologias e soluções em produtos e serviços especializados, resultando em uma atmosfera de intenso networking, formação de parcerias e geração de negócios.

Reed Exhibitions Alcantara Machado

A Reed Exhibitions Alcantara Machado atua no Brasil através dos seus escritórios em São Paulo e Ribeirão Preto. Com um portfólio de cerca de 40 marcas em todo o território nacional, o Grupo traz para o Brasil as melhores práticas em exposição de eventos, com a experiência de quem é líder mundial neste mercado. Participar de um evento organizado e promovido pela Reed Exhibitions Alcantara Machado é estar em uma vitrine de relacionamento que recebe, anualmente, somente no Brasil, cerca de 1 milhão de compradores. Além do Brasil, a Reed Exhibitions atua em 42 países. São mais de 500 eventos distribuídos pelas Américas, Europa, Oriente Médio e Ásia.

SPE - Society of Petroleum Engineers

A SPE é uma associação profissional sem fins lucrativos cujos membros estão envolvidos no desenvolvimento de recursos energéticos e de produção. Atualmente, atende mais de 143 mil membros em 137 países em todo o mundo, se firmando como um recurso fundamental para o conhecimento técnico relacionado à exploração e produção da indústria de petróleo e gás. A associação ainda presta serviços através de suas publicações, eventos, cursos de treinamento e recursos online em www.spe.org.

Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis

Fundado em 1957, o IBP é uma organização privada, sem fins lucrativos, focada em promover o desenvolvimento da indústria de petróleo, gás e biocombustíveis brasileira em um ambiente competitivo, sustentável, ética e socialmente responsável. Hoje, o IBP reúne mais de 200 empresas e profissionais associados e é reconhecida como um representante da indústria importante para o seu conhecimento técnico e para fomentar o debate das grandes questões do setor. Organizador dos principais eventos da indústria no Brasil, o IBP também desenvolve cursos e capacitação de profissionais do setor, normas, certificações e publicações técnicas. Saiba mais no site do IBP.



Fonte: Redação/Assessoria IBP
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar