Petrobras- 213x420
acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Qualificação

Aulas do Prominp ficam para o segundo semestre

12/01/2011 | 09h38
Os 6.003 candidatos aprovados na seleção para o 5º ciclo do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás (Prominp) em Pernambuco terão que esperar até o segundo semestre pelo começo das aulas nos cursos de qualificação. A previsão era que as turmas se iniciassem no primeiro trimestre de 2011, mas o processo vai atrasar. Na prática, a demora significa que o pico de obras da Refinaria Abreu e Lima, em Suape, vai começar sem que os profissionais sejam qualificados. E, mais uma vez, será inevitável contratar mão de obra em outros Estados.


Apesar de o processo de seleção em todo o País ter sido concluído no ano passado, com a publicação do resultado dos exames em novembro, o 5º ciclo não avançou. O coordenador do Fórum Regional do Prominp, Antonio Sotero, explica que o contrato da Petrobras com a Abemi (empresa responsável pela gestão do programa) terminou e a estatal decidiu contratar uma nova executora. Nos quatro ciclos do Prominp realizados pela Petrobras no País, a Abemi foi a responsável pela interlocução com as instituições de ensino que ministram os cursos.


No Brasil, o Prominp conta com 85 instituições de ensino cadastradas. Em Pernambuco, os cursos são ministrados pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). “A Petrobras vai fazer uma licitação para contratar a nova empresa gestora do Prominp. Nossa estimativa é que o processo seja concluído até o final do primeiro semestre”, acredita Sotero. A empresa executora também é responsável pela implementação e fiscalização dos cursos nos Estados, pelo material didático e pelo repasse de pagamento para as instituições de ensino parceiras.


APAGÃO

O atraso no cronograma do Prominp vai acertar em cheio uma obra da própria Petrobras, a Refinaria Abreu e Lima (Rnest). Em agosto do ano passado, durante visita do então presidente Lula para visitar as obras do empreendimento em Suape, o presidente da Rnest, Marcelino Guedes, afirmou que o pico de obra aconteceria no primeiro semestre de 2011, com 23 mil operários dentro do canteiro principal, além de outros 5 mil na pré-montagem de equipamentos para a obra. Os consórcios que atuam na obra estão pedindo socorro à Agência do Trabalho de Pernambuco para preencher vagas para a área técnica no canteiro. Estão abertas 37 vagas e a convocação deverá ser feita em caráter de urgência, com previsão de uma qualificação no próprio canteiro.


Isso sem falar que Pernambuco deixou de preencher 28% das vagas do Prominp neste 5º ciclo. Tudo isso explica porque o governo do Estado decidiu criar uma Secretaria de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo, que terá muito trabalho pela frente e precisa começar rápido.


Fonte: Jornal do Commercio (PE)
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar