acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Macroeconomia

Atividade econômica cresce no começo de 2014, nota BC

14/03/2014 | 10h19

 

Atividade econômica cresce no começo de 2014, nota BC
A economia brasileira começou 2014 ganhando tração pela métrica do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que subiu 1,26% em janeiro, na comparação com um mês antes, na série com ajuste sazonal. O BC revisou o dado de dezembro de 2013, de queda de 1,35% para retração de 1,40% ante novembro, no dado dessazonalizado.
A variação mensal ficou acima da projeção média feita pelas 19 consultorias e instituições consultadas pelo Valor Data. A média dos prognósticos sugeria avanço de 1% em janeiro, perante o mês anterior. O intervalo de projeções variava entre alta de 0,4% e de 1,8%.
Sobre janeiro do ano passado, o IBC-Br aponta alta de 0,93% na série sem ajuste (alta de 1,01% com ajuste). Em 12 meses, o avanço é de 2,29% (ou 2,47% com ajuste). 
Nos três meses encerrados em janeiro, o índice mostra queda de 0,47% sobre os três meses imediatamente anteriores, feitos os ajustes sazonais.
O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços). A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores acrescida dos impostos sobre produtos. O Produto Interno Bruto (PIB) calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.

A economia brasileira começou 2014 ganhando tração pela métrica do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), que subiu 1,26% em janeiro, na comparação com um mês antes, na série com ajuste sazonal. O BC revisou o dado de dezembro de 2013, de queda de 1,35% para retração de 1,40% ante novembro, no dado dessazonalizado.

A variação mensal ficou acima da projeção média feita pelas 19 consultorias e instituições consultadas pelo Valor Data. A média dos prognósticos sugeria avanço de 1% em janeiro, perante o mês anterior. O intervalo de projeções variava entre alta de 0,4% e de 1,8%.

Sobre janeiro do ano passado, o IBC-Br aponta alta de 0,93% na série sem ajuste (alta de 1,01% com ajuste). Em 12 meses, o avanço é de 2,29% (ou 2,47% com ajuste). 

Nos três meses encerrados em janeiro, o índice mostra queda de 0,47% sobre os três meses imediatamente anteriores, feitos os ajustes sazonais.

O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços). A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores acrescida dos impostos sobre produtos. O Produto Interno Bruto (PIB) calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar