acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Expansão

Associação Latino-Americana de GNV tem reforço no Chile e na Venezuela

22/12/2008 | 14h38

Com intuito de ampliar sua atuação nos dois países, a Associação Latino-Americana de GNV (ALGNV) indicou dois novos representantes para o Chile e a Venezuela. São os executivos Gerardo Muñoz, gerente da chilena Metrogaz, e Pedro Mellado, presidente da Câmara de GNV da Venezuela.

 

O continente latino-americano tem hoje cerca de 3,6 milhões de veículos a GNV, representando quase 50% da frota mundial. Atualmente, em todo o mundo, existem aproximadamente 8 milhões de veículos a GNV. E a estimativa é de atingir 65 milhões em 2020. O conselho executivo da ALGNV tem hoje diretores de Argentina, Brasil, Bolívia, Peru e Colômbia.

 

R. Fernandes, presidente da ALGNV e coordenador do Comitê de GNV do Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), detalha que o Chile teve um crescimento importante na fase inicial do uso de GNV em seu território, tendo enfrentado posteriormente interrupções no suprimento de gás.

 

“Hoje, o uso de GNV se dá fundamentalmente no sul do país, nas cidades de Punta Arenas e Concepción”. O Chile chegou a registrar 8.500 veículos a GNV e 14 postos de abastecimento. O programa de GNV no país deverá ser retomado em setembro de 2009 com a chegada do Gás Natural Liquefeito (GNL) à região.

 

A Venezuela, em um primeiro momento, teve convertidos cerca de 50 mil veículos para GNV. O programa foi interrompido por falta de incentivos, mas está sendo reforçado agora em etapa identificada como “Autogas”,  orientado pela PDVSA. Estão em funcionamento hoje 72 oficinas de conversão no país e até o final de 2008 serão realizadas mais 10 mil novas conversões na região.

 

Para o ano de 2009, pode aprimorar cenários uma nova lei que obriga todas as montadoras e importadoras de automóveis a disponibilizar a alternativa de uso do GNV em 30% dos veículos novos, o que compreende a faixa de 90 a 100 mil veículos. Durante o próximo ano espera-se ainda, com as novas oficinas de conversão, a produção de 100 mil veículos - a maioria táxis ou frotas pertencentes ao governo.



Fonte: Insight Comunicaçã
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar