acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refino

Assinado memorando para Infra-estrutura de implantação da refinaria de Pernambuco

10/11/2005 | 00h00

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo, o governador de Pernambuco, Jarbas Vasconcelos, e o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Matheus Guimarães Antunes, assinaram nesta quinta-feira (10/11) em Recife o Memorando de Entendimentos para dar início às providências que viabilizarão a implantação da refinaria de petróleo em Pernambuco.

"Com capacidade para processar 200 mil barris diários de petróleo, a refinaria vai permitir o abastecimento da região nordeste e reduzir importações de derivados", se lê no comunicado enviado pela Petrobras, no qual o projeto é caracterizado como um amplo projeto das emrpesas estatais petróleos da Venezuela (PDVSA) e do Brasil (Petrobras).  

Neste memorando, o Estado de Pernambuco e o Complexo de SUAPE manifestam expressamente sua intenção de criar toda a infra-estrutura necessária para a construção e operação da refinaria, garantindo: rornecimento sustentável de água e energia elétrica, execução de obras para melhorias no porto, criação de escolas, hospitais, habitação e outras facilidades, para atendimento aos trabalhadores durante as obras da refinaria, além da concessão de outros incentivos.
     
A Petrobras, em parceria com entidades do Estado, promoverá a criação de programas para capacitar a mão-de-obra a ser absorvida na implantação e, posteriormente, na operação da refinaria.

A indústria e o comércio locais também serão beneficiados com o fornecimento de materiais, serviços e expansão das vendas.

O investimento total na refinaria será de cerca de 2,5 bilhões de dólares, com início das obras em 2008 e a entrada em operação em 2011. Segundo a estatal brasileira, o empreendimento tem o potencial para geração de 240 mil postos de trabalho, considerando os diretos, indiretos e os gerados pelo efeito renda, nos quatro anos de implantação e recolherá impostos estaduais e municipais na ordem de 970 milhões de dólares anualmente, após o início de operação.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar