acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Refino

Argol vai construir refinaria de US$ 2,5 bi no ES

22/09/2004 | 00h00

A Arabian Gulf Oil (Agol), empresa de capital britânico com sede em Bahrein, no Golfo Pérsico, assinou ontem memorando de entendimento com o governo do Estado do Espírito Santo para instalação de uma refinaria de petróleo nas proximidades do porto capixaba de Ubú. Os investimentos previstos são de US$ 2,5 bilhões e assinatura do contrato aconteceu na embaixada brasileira em Londres.
O secretário de desenvolvimento do Estado do Espírito Santo, Júlio Bueno, que participou do encontro, explicou por telefone, de Londres, que o novo passo é importante, pois dá o contorno do negócio, mas trata-se apenas de mais uma etapa no processo. "Não há euforia. Estamos fazendo tudo racionalmente. O projeto tem um conceito diferente e precisa ser ajustado", disse.
Entre os ajustes estão as demandas da Arabian Gulf reivindicando isenção fiscal do governo federal (Imposto de Renda, IPI, PIS, Cofins) que ainda não se manifestou. Do lado do governo do Espírito Santo, o previsto é isenção de ICMS e "leasing" de um terreno para a obra.
Segundo Bueno, que já foi presidente da Petrobras Distribuidora, o grupo árabe vem examinando oportunidades no Brasil "há um bom tempo". E avalia que o atrativo foi o fato do "o Espírito Santo oferecer diferenciais interessantes". Ele afirma que a logística é eficiente e oferece facilidade para o comércio internacional.
A refinaria permite a criação de 400 empregos diretos e até 30 mil indiretos, segundo cálculo dos investidores. Voltada para exportação, ela poderá produzir derivados utilizando tanto o petróleo brasileiro como o importado. A proposta é de que a unidade tenha capacidade de processar 200 mil barris por dia. O modelo previsto é o de construção em módulos de processamento de 20 mil barris por dia, como no Oriente Médio, onde a Agol, que tem sede em Bahrein, no Golfo Pérsico, está construindo uma refinaria em Fujairah.
Mas, antes de chegar à etapa de produção, ainda falta, por exemplo, a estruturação financeira do projeto, que não está fechada. "A Agol está buscando parceiros e vem fazendo articulações no mercado financeiro internacional", explicou Bueno.
A Agol é uma multinacional e o capital majoritário é britânico. De acordo com informações da assessoria de imprensa da secretaria de desenvolvimento do Espírito Santo, são parceiras da empresa no projeto de refinarias Heath Lambert, resseguradora de atuação mundial; a Select Energy Trading, especializada na compra de petróleo e derivados e que será responsável pela compra dos produtos da refinaria de Fujairah; além da Mott MacDonalds Engenharia, empresa de consultoria independente, que subsidiará os financiadores nas questões relacionadas à tecnologia.



Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar