acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Gas Summit Latin America 2015

Argentina tem reservas de gás para os próximos 400 anos

08/06/2015 | 11h04
Argentina tem reservas de gás para os próximos 400 anos
Divulgação Divulgação

Nos últimos anos, diversos países latino-americanos têm impulsionado mudanças em suas leis de hidrocarbonetos para incentivar o desenvolvimento de petróleo e gás. Segunda colocada entre os países com mais reservas de shale shale gas - ou gás não convencional - do mundo, de acordo com a Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA), a Argentina já inicia medidas para cumprir a nova Lei de Hidrocarbonetos. Aprovada em outubro passado, a legislação integra um esquema de promoção de investimentos para estimular o desenvolvimento da exploração de hidrocarbonetos convencionais e, principalmente, recursos não convencionais.

Dentre as principais medidas, a nova lei trata do estabelecimento de prazos diferenciados para cada tipo de exploração e da existência de um novo mecanismo para a concessão de áreas de licitação, em busca de maior concorrência. Incentivo às empresas para grandes investimentos e estabelecimento de normas ambientais para a exploração também fazem parte do novo conjunto de regras do país.

Segundo o líder de projeto da Enarsa PDV, empresa argentina de exploração de petróleo e gás, Luis Bertenasco, a nova lei cria incentivos necessários para a indústria aumentar a exploração de hidrocarbonetos, promove a autossuficiência, e pode tornar a Argentina um país exportador de gás para a região. “Importamos 30% de nossa produção da Bolívia, mas dependendo do nível de investimentos, a autossuficiência poderia ser alcançada no intervalo dos próximos 5-10 anos. Se ao horizonte de reservas de gás natural convencional nós adicionarmos os recursos não convencionais, teremos abastecimento para cerca de 400 anos. Por isso, é razoável esperar que, em poucos anos, a Argentina se torne uma exportadora de gás”, finaliza Bertenasco.

Luis Bertenasco, bem como outras autoridades de diversos países da América Latina, discutirá novas leis do setor de hidrocarbonetos e outros temas durante a 12ª edição do Gas Summit Latin America. O encontro sobre os rumos do mercado de gás acontece de 8 a 10 de junho, no Hotel Windsor Atlântica, no Rio de Janeiro (RJ).

Informações sobre a programação completa e inscrições para a edição 2015 do Gas Summit Latin America podem ser obtidas no site www.informagroup.com.br/gas-summit



Fonte: Redação / Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar