acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Shale Gas

Argentina aprova lei para estimular exploração de reservas de xisto

31/10/2014 | 10h48

 

O Congresso da Argentina aprovou nesta quinta-feira uma ampla reforma da lei que dispõe sobre o setor de energia, de forma a estimular o investimento nas vastas reservas de petróleo e gás de xisto do país e reduzir a dependência das dispendiosas importações de fontes de energia.
A proposta, que já havia passado pelo Senado, foi aprovada nesta quinta-feira na Câmara dos Deputados, por 130 a 116 votos, com uma abstenção, e segue agora para sanção da presidente Cristina Kirchner.
A iniciativa contou com forte apoio da presidente e da estatal YPF, a maior companhia petrolífera da Argentina. A controversa lei estabelece regras nacionais para royalties e concessões no setor, de forma a assegurar um maior grau de segurança aos investidores.
Até então, as províncias tinham um grande papel na definição das regras, o que teria resultado em incertezas. Inicialmente, os governadores das províncias produtoras se opuseram à iniciativa legislativa do governo central, resistindo a abrir mão de poder.
A Argentina é superada apenas pela China em potencial de reservas de gás de xisto, com 802 trilhões de pés cúbicos, de acordo com dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos. Em petróleo de xisto, a Argentina ocupa a quarta posição em reservas potenciais, com estimados 27 bilhões de barris.

O Congresso da Argentina aprovou nesta quinta-feira uma ampla reforma da lei que dispõe sobre o setor de energia, de forma a estimular o investimento nas vastas reservas de petróleo e gás de xisto do país e reduzir a dependência das dispendiosas importações de fontes de energia.

A proposta, que já havia passado pelo Senado, foi aprovada nesta quinta-feira na Câmara dos Deputados, por 130 a 116 votos, com uma abstenção, e segue agora para sanção da presidente Cristina Kirchner.

A iniciativa contou com forte apoio da presidente e da estatal YPF, a maior companhia petrolífera da Argentina.

A controversa lei estabelece regras nacionais para royalties e concessões no setor, de forma a assegurar um maior grau de segurança aos investidores.

Até então, as províncias tinham um grande papel na definição das regras, o que teria resultado em incertezas.

Inicialmente, os governadores das províncias produtoras se opuseram à iniciativa legislativa do governo central, resistindo a abrir mão de poder.

A Argentina é superada apenas pela China em potencial de reservas de gás de xisto, com 802 trilhões de pés cúbicos, de acordo com dados do Departamento de Energia dos Estados Unidos.

Em petróleo de xisto, a Argentina ocupa a quarta posição em reservas potenciais, com estimados 27 bilhões de barris.

 



Fonte: Valor Econômico (com informações Dow Jones Newswires)
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar