acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petrobras

Após medidas regulatórias, Petrobras retoma força e solidez

08/08/2017 | 10h02

Sancionado no final do ano passado, o marco regulatório que desobriga a Petrobras de ser a operadora única do pré-sal foi uma das principais medidas tomadas pelo governo federal para aliviar o caixa da estatal e prepará-la para retomar a competitividade e a solidez financeira.

Aliado a um plano de desinvestimentos e novas políticas estratégicas, a estatal reviu prejuízos e obteve uma melhora na avaliação financeira por agências de classificação de risco – medidas que contribuíram para elevar a credibilidade da empresa e proporcionaram uma elevação no preço das ações da Petrobras negociadas na bolsa.

Em outra ponta, a Lei de Responsabilidade das Estatais, proposta pelo governo federal e validada pelo Congresso Nacional, foi mais um passo para retomar a credibilidade das companhias brasileiras por meio da aplicação de regras rígidas para nomeação de funcionários em cargos estratégicos.

Diante desse cenário, a Petrobras já conseguiu alcançar, ainda no primeiro semestre de 2017, a meta de produção prevista para todo o ano de 2017. Até junho, a produção de petróleo da empresa chegou a 2,171 milhões de barris por dia – alta de 5,6% na comparação anual. A meta da empresa, no entanto, era uma produção de 2,07 milhões de barris.

Após fechar o ano passado com prejuízo, a Petrobras conseguiu voltar a registrar resultados positivos. No primeiro trimestre, a estatal lucrou R$ 4,4 bilhões – o melhor resultado para o período desde 2015. Nos três primeiros meses do ano passado, antes da gestão de a companhia passar por mudanças, as perdas haviam somado R$ 1,24 bilhão.



Fonte: Redação/Portal Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar