acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Petróleo

Após as chamas, plataforma afunda no mar

26/04/2010 | 09h31

Só restou fumaça e mistério. A plataforma que explodiu na madrugada de quarta-feira já não faz parte do horizonte do Golfo do México. A estrutura afundou depois de ser consumida pelas chamas por horas a fio. E o motivo da explosão ainda é desconhecido.

 

Carolyn Kemp, avó de Roy Wyatt Kemp, 27 anos, um dos 11 desaparecidos, recebeu ontem uma notícia que reduz suas esperanças:

– Eles suspeitam que os homens que se encontravam na plataforma morreram. É a mais recente informação que temos – lamenta, lembrando que o neto estava nesse local.

 

De acordo com a Guarda Costeira americana, 126 trabalhadores estavam na plataforma no momento da explosão, e 115 conseguiram escapar. A Guarda segue a busca pelos desaparecidos.

As equipes de emergência não conseguiram controlar o fogo, que formou uma enorme coluna de fumaça nos céus do Golfo do México. A plataforma estava derramando 42 mil litros de petróleo, mas o fogo e a fumaça impediam as equipes de enviar os equipamentos necessários para tampar o escape.

 

Autoridades temem derramamento de petróleo

 

O acidente ocorreu em frente à costa do Estado americano da Louisiana, a cerca de 75 quilômetros da cidade de Venice. Segundo o jornal americano The Washington Post, o presidente Barack Obama ordenou às agências do governo que utilizassem todos os recursos disponíveis nas buscas e cuidado com a plataforma destruída, acionando inclusive a Agência de Proteção Ambiental. As autoridades americanas temem que, após afundar, a plataforma possa provocar um grande derramamento de óleo.

 

A plataforma Deepwater Horizon tinha uma superfície de 132 metros de comprimento por 85 de largura e podia perfurar a uma profundidade de mais de oito quilômetros. Ela pertencia à empresa suíça Transocean Ltd e extraía petróleo para a British Petroleum (BP).



Fonte: Zero Hora
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar