acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
E&P

ANP contrata pesquisa em bacias de novas fronteiras

13/01/2005 | 00h00

Apostando nas novas fronteiras exploratórias, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) contratou o consórcio formado pela OceansatPeg e a HRT Petroleum para a realização de estudos de prospecção de hidrocarbonetos na bacia marinha de Pernambuco-Paraíba. O investimento é de R$ 5 milhões e envolve coleta e análise de material do fundo oceânico para detecção de hidrocarbonetos. Segundo o diretor da HRT Petróleo, Giovanni Toniatti, as possibilidades de se encontrar petróleo ou gás na região são altas. "A comercialidade é que não se sabe ainda", adverte.
Segundo Toniatti, além do estudo de hidrocarbonetos, o levantamento envolve análises ambientais sobre contaminações e impacto ambiental no caso de uma possível atividade exploratória na região. "Vamos aproveitar que o navio estará operando para colher também informações sobre as condições ambientais", explica o empresário da HRT, que será a responsável pela análise dos dados, enquanto a OceansatPeg é a dona do navio.
De acordo com o cronograma do consórcio, a coleta de dados deverá ser iniciada no dia 27 de janeiro e o navio estará em operação no local durante aproximadamente 30 dias. Depois, com a análise dos dados obtidos, o estudo completo deverá ser concluído entre quatro e seis meses. "Esse é um trabalho inicial, se for constatada a presença de hidrocarbonetos, ainda serão feitos estudos sísmicos, para avaliar o volume e a comercialidade para exploração petrolífera na região", ressalta Toniatti.
O trabalho começará pelo município de São José da Coroa Grande, a 50 quilômetro do litoral de Pernambuco.
"A bacia de Pernambuco-Paraíba já foi estudada pela Petrobras há mais de 10 anos, mas - ainda que tenham sido encontrados indícios de hidrocarbonetos no local - acabou sendo deixada de lado e hoje é uma das áreas menos exploradas do país`, considera Toniatti.



Fonte:
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar