acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil & Gas 2012

Brasil tem grande potencial para gás não convencional

17/09/2012 | 23h34
Brasil tem grande potencial para gás não convencional
Rudy Trindade/TN Petróleo Rudy Trindade/TN Petróleo

Os reservatórios não convencionais foi outro tema abordado nos debates desta segunda-feira (17) na Rio Oil & Gas 2012. Durante o painel, a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) informou que calcula um potencial da ordem de 208 TCF recuperáveis de gás natural não convencional nas bacias do Parnaíba, Parecis e Recôncavo.

Segundo Olavo Colela Junior, conselheiro da ANP, até agora há pouco investimento nesta técnica de exploração no Brasil, mas as empresas já se debruçam sobre o tema e a agência estuda uma regulação para o setor.

Bob Fryklund, vice presidente de pesquisa de energia da IHS Cera, informou ainda que falta regras de investimento que englobem mais os reservatórios não convencionais no Brasil. A falta de uma infra-estrutura eficaz no país também foi levantada pelo executivo como uma entrave.

De acordo com Fryklund as lições aprendidas na América do Norte, como o uso de fraturamento hidráulico nesses reservatórios deve ser aplicado no Brasil. Dentre outras vantagens, ele enfatizou a rápida taxa de retorno que esta tecnologia proporciona.

O executivo comentou ainda sobre o potencial do petróleo "tight" (extraído de formações rochosas densas), que deve aumentar dramaticamente ao longo da década. Segundo ele, até o fim desta década, o hemisfério ocidental pode estar importando muito pouco petróleo do hemisfério oriental.

Além disso, um levantamento recente da KPMG indica que o Brasil pode se tornar o segundo maior produtor desse tipo de energia, considerada estratégica para a matriz mundial no futuro. De acordo com o estudo, o país é hoje o décimo entre os detentores de reservas de shale gas no mundo, com reservas estimadas de 226 bilhões de m³.

A diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, já reuniu-se com autoridades regulatórias nos Estados Unidos para detalhar as leis locais. “Queremos ver como funciona a regulação deles”, disse a executiva. A Petrobras criou uma equipe liderada pelo geólogo Mário Carminatti, da Diretoria de Exploração e Produção, para estudar o assunto, discretamente, como forma de evitar uma elevação de preços.



Fonte: Redação TN
Autor: Maria Fernanda Romero
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar