acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Negócios

Aneel aprova aquisição de projetos a gás natural pela MPX

16/08/2011 | 13h09
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (16), a aquisição pela MPX, empresa de energia do Grupo EBX, do empresário Eike Batista, dos projetos da Bertin MC2 Joinville e MC2 João Neiva, detentores de autorizações para a construção de usinas termelétricas a gás natural, com capacidade total de 680 MW. A empresa construirá os empreendimentos no complexo de geração de energia do Parnaíba, no município de Santo Antônio dos Lopes, no interior do Maranhão.
 
 
A MPX investirá cerca de R$ 980 milhões na construção das usinas, gerando 1.000 empregos diretos. A implantação do empreendimento, que deverá entrar em operação até janeiro de 2013, será iniciada nas próximas semanas. As usinas detêm contratos de 15 anos de duração para 450 MW médios, garantindo uma receita fixa anual de R$ 393,5 milhões. A MPX tem 70% do complexo, enquanto a Petra Energia é sócia com 30%.

 

“A construção das usinas será importante para garantir a oferta de energia elétrica para o Brasil e amplia de forma significativa o parque gerador da MPX. O complexo do Parnaíba será um importante pólo de geração de energia para o Brasil, já que temos 3.722 MW já licenciados”, afirma o presidente da MPX, Eduardo Karrer. O gás natural utilizado pelas usinas será fornecido pelos blocos terrestres localizados na região, com recursos estimados em mais de 11 trilhões de pés cúbicos, dos quais a MPX possui 23% de participação. A operação dos blocos será realizada pela OGX Maranhão. 

 

Com a previsão de início de construção da MPX Parnaíba no curto prazo, a empresa já iniciou um importante programa de capacitação em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e prefeituras locais. Na semana passada, a empresa concluiu a qualificação de 198 pessoas e a meta é chegar a 500, para aumentar possibilidade de contratação de mão-de-obra local nas obras do complexo de energia.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar