acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Cotação

Analistas dizem que preço do petróleo deve manter alta

24/02/2011 | 09h29
Os distúrbios nos países produtores de petróleo do Oriente Médio e do norte da África fizeram com que o preço do barril fosse negociado ontem em seu mais alto patamar desde 2008. Analistas acreditam inclusive que, se a crise se alongar, o preço do petróleo pode atingir um recorde acima de US$ 200 o barril.
 

O preço do barril fechou em US$ 100 em Nova York e US$ 110 em Londres. Nos EUA, foi a primeira vez em dois anos e meio que o petróleo passou a barreira dos três dígitos.
 

"Se a Líbia e a Argélia interromperem a produção de petróleo ao mesmo tempo, os preços deverão disparar para US$ 220 o barril, reduzindo a capacidade de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para 2,1 milhões de barris diários, valores idênticos aos vistos durante a Guerra do Golfo, época em que os preços bateram os US$ 147", afirmaram analistas da japonesa Nomura Holdings em relatório.
 

A OPEP tem atualmente capacidade de produção de 5 milhões de barris diários, segundo a Agência Internacional de Energia (AIE). A Argélia produziu, apenas no mês passado, 1,25 milhão de barris de petróleo por dia, enquanto a produção na Líbia cresceu para 1,59 milhão de barris diários.
 

A companhia de transporte marítimo francesa CMA CGM relatou que todos os portos da Líbia estão "temporariamente fechados", como consequência dos distúrbios. "Por conta da insurreição em certas cidades líbias, todos os portos e terminais estão temporariamente fechados", relatou o grupo em comunicado.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar