acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Etanol

Análise Datagro: Conheça as vantagens do RenovaBio para o setor sucroenergético

28/06/2017 | 17h23

Os biocombustíveis possuem um papel fundamental na matriz energética brasileira e são responsáveis por tornar a oferta de energia do Brasil cada vez mais sustentável, competitiva e segura. Esta declaração é do Presidente do Fórum Nacional Sucroenergético, André Rocha, que atualmente está engajado no desenrolar desse Programa. "Após anos de estagnação do setor sucroenergético o RenovaBio nasce como uma grande oportunidade de retomar os investimentos do setor", diz.

De acordo com André Rocha, a falta de previsibilidade é um dos principais entraves do setor. "O investidor busca previsibilidade, segurança jurídica e rentabilidade. O RenovaBio é um importante instrumento para poder assegurar a previsibilidade, para que seja possível colocar um projeção de futuro para o setor", explica o presidente. Além de uma regulação que cuide do longo prazo, serão necessárias também medidas de curto prazo para viabilizar a recuperação do setor.

Além de garantir a segurança que o setor precisa, o programa vai ajudar o Brasil a cumprir com os compromissos firmados na COP21, reduzindo as emissões de gases de efeito estufa e mostrando que o país está comprometido com uma matriz energética, cada vez mais limpa e renovável. "Dessa forma será possível a expansão dos biocombustíveis no Brasil e, com isso, haverá mais geração de empregos e distribuição de renda. Este é um anseio não só do nosso Setor, mas também do nosso país" afirma André Rocha.

André Rocha, Presidente do Fórum Nacional Sucroenergético, será um dos palestrantes da 17ª Conferência Internacional sobre Açúcar e Etanol. Confira a programação completa

Outra preocupação ambiental é que o setor de transporte é responsável por grande parte das emissões brasileiras de CO2, mesmo a maioria da frota brasileira sendo Flex. O presidente do Fórum destaca que é necessário melhorar a eficiência dos motores Flex como forma de estimular o consumo dos biocombustíveis. "Se o motor Flex a gasolina, tiver a mesma eficiência do motor Flex a etanol, ou o mais próximo possível, você estará dando ao consumidor melhores condições de escolha" diz. O valor do litro, também é fator decisivo na hora do abastecimento, afirma o presidente. "Infelizmente o consumidor considera muito mais a questão do preço do que a questão ambiental", ressalta André Rocha.

O RenovaBio foi aprovado recentemente pelo Conselho Nacional de Política Energética e deve chegar a bancada do Congresso Nacional no próximo semestre. O presidente do Fórum Nacional Sucroenergético explica que existe um prazo para que o Grupo - formado por membros de vários setores público e privado - possa tratar da regulamentação. E, segundo ele, a partir do ano que vem já será possível fazer um test drive antes mesmo da implementação efetiva, que está prevista para 2019. "O Projeto entrar em vigor ainda em 2018, logicamente sujeita aos ajustes e, em 2019, o Programa já começa com plena força, é essa a expectativa" conclui o presidente.

O RenovaBio será tema da 17ª Conferência Internacional sobre Açúcar e Etanol , que acontecerá nos dias 06 e 07 de novembro de 2017, em São Paulo.

 



Fonte: Redação/Assessoria Datagro
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar