acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Economia

América do Sul terá US$ 116 bi para investir em integração na área de infraestrutura

30/11/2011 | 17h51
O Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento (Cosiplan) aprovou hoje (30) um plano de ações estratégicas no valor de US$ 13,7 bilhões, visando a 31 projetos de integração na área de infraestrutura sul-americana, para o período entre 2012 e 2022. Durante a 2ª Reunião Ministerial do Cosiplan - evento organizado no âmbito da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) - foi também aprovada a revisão da carteira de projetos, estimada em US$ 116 bilhões.

“Dos US$ 116 bilhões, 12% já tiveram suas ações concluídas, 30% estão em execução, 30% estão em execução de ações de preparação avançadas e 28% estão com os passos iniciais de preparação”, informou a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior.

Segundo ela, o plano de ações para os próximos dez anos somará US$ 13,7 bilhões em investimentos, seguindo “critérios consensuais de prioridades”, visando aos projetos de maior impacto para a integração da região. “São 31 projetos estruturantes [para o período entre 2012 e 2022] e 88 projetos [sem previsão de execução] que, apesar de serem chamados de individuais, são de integração [entre os países]”, destacou.

Dentro dos 31 projetos prioritários há obras envolvendo portos, centro logísticos, hidrovias, ferrovias, rodovias, pontes, túneis, linhas de transmissão de energia, aeroportos, gasodutos e sistemas de transporte multimodal por toda a América do Sul.

Foram constituídos três grupos de trabalho para auxiliar no andamento das ações previstas nessa agenda. Eles vão cuidar de questões relacionadas a financiamentos e garantias, à integração ferroviária e a telecomunicações. “[Dentro do grupo que discutirá telecomunicações,] vamos também discutir a convergência da TV digital, viabilizando as possibilidades de divulgação de cultura e temas regionais”, acrescentou Miriam Belchior.

Um dos grupos de trabalho vai definir as formas como as garantias públicas e privadas serão dadas. “Dentro desses quase US$ 14 bilhões da agenda prioritária, vários projetos são nacionais e têm garantia financeira definida com organismos internacionais. Mas a receita é de cada país, com linhas de financiamento que terão garantia soberana para detalhar o enfrentamento”, disse a ministra do Planejamento. Também foi aprovado a realização de encontro continental com empresários, para detalhar os planos do grupo.

Participam do encontro do Cosiplan, em Brasília, ministros de 12 países da América do Sul. Durante as reuniões, serão apresentados documentos que nortearão os trabalhos do conselho nos próximos anos, com o objetivo de impulsionar o desenvolvimento socioeconômico sustentável da região.

Entre os pontos a serem discutidos está a construção do Corredor Ferroviário Bioceânico - que pretende ligar os portos de Santos e de Paranaguá (no Brasil) aos portos chilenos de Antofagasta e Mejillones, passando pelo Paraguai e pela Argentina. Também será debatida a questão do financiamento para a implantação do anel ótico de banda larga que conectará os países da América do Sul à grande rede.


Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar