acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Exportações

Amcham e Apex assinam acordo para promover exportações e inserção das empresas brasileiras na economia global

31/05/2017 | 17h49

A Câmara Americana de Comércio para o Brasil (AMCHAM BRASIL) e a Agência Brasil de Promoção de Exportações e Investimento (APEX BRASIL) assinaram nesta terça-feira (30/5), em São Paulo, um memorando visando promover e potencializar a inserção de empresas e marcas brasileiras na cadeia global de valor e exportação.

O memorando, assinado durante o Brazil Investment Fórum (BIF) 2017, tem quatro objetivos principais: 1) promover a inserção de empresas brasileiras na economia global; 2) fomentar o investimento de capital produtivo do exterior no Brasil; 3) apoiar as exportações brasileiras; 4) divulgar oportunidades e promover o Brasil no exterior.

“O memorando formaliza à Amcham como um canal de diálogo entre o setor público e o setor privado, visando a melhoria no ambiente de negócios. O acordo terá efeito prático com a realização de eventos, consultoria e ações de capacitação para facilitar a inserção das empresas brasileiras no mercado internacional”, explica Hélio Magalhães, presidente do Conselho de Administração da Amcham Brasil, a maior Câmara Americana, entre 114 existentes fora dos Estados Unidos. Por ano, a entidade promove duas mil atividades empresariais, reunindo cerca de 90 mil executivos e investidores.

Na visão do presidente da Apex, Roberto Jaguaribe, os Estados Unidos é o maior investidor acumulado do Brasil, e a Amcham é o canal de acesso para este importante mercado. “O mercado norte-americano é o destino preferencial de 68% dos exportadores brasileiros, e este acordo visa potencializar e facilitar a relação bilateral Brasil-EUA prestando ações de aproximação e de conteúdo”, explica o embaixador.

Para o presidente do Conselho da Amcham, o Brasil precisa vencer o isolamento comercial. “Do nosso universo de cinco milhões de empresas brasileiras, só 20 mil exportam. Representamos também cerca de 3% do PIB global e só 1,2% do comércio mundial, ou seja, alguém está vendendo no nosso lugar”, comenta Hélio Magalhães. A assinatura do acordo entre Amcham e Apex acontece em contexto que os números de Investimento Estrangeiro Direto vêm reagindo positivamente, segundo indicadores do primeiro trimestre do ano, totalizando US$ 23,943 bilhões, o que representa um incremento de cerca de 40% em relação a 2016.

Ações previstas

Para alcançar o objetivo de potencializar a inserção do Brasil na cadeia internacional, a Amcham e Apex vão desenvolver conjuntamente um plano de trabalho coma ações previstas no curto e médio prazo. Estão previstas a realização de eventos para promoção de temas de comércio exterior; desenvolvimentos de estudos e consultoria; promoção de informações aos investidores internacionais; auxilio na capacitação de empresas exportadoras; e compartilhamento e parceria na realização de publicações e pesquisas sobre a temática.

Sobre à Amcham

Está no DNA da Amcham Brasil, há 98 anos, incentivar parcerias e integrar o Brasil com investidores dos principais centros do mundo. Para isso, a entidade edita atualmente mais de 26 guias de investimentos visando facilitar a recepção de investimentos e internacionalização de negócios. Todos são gratuitos e podem ser baixados a partir do site.

Amcham promove também o comércio e investimento entre o Brasil e outros mercados, auxiliando empresas brasileiras e estrangeiras com informações sobre mercados internacionais, ambientes regulatórios em outros países, e oferecendo consultoria e capacitação, relacionamentos profissionais, e contatos comerciais. Fundada em 1919, a entidade reúne cerca 5 mil empresas associadas, sendo 85% delas brasileiras. Está presente em 14 cidades brasileiras.

É também o centro privado das discussões comerciais entre Brasil e Estados Unidos, realizando estudos, eventos, missões internacionais, encontros de negócios e a construção de agenda ampla de cooperação governamental, tecnológica, regulatória e comercial. Reúne as principais multinacionais norte-americanas no Brasil e também as empresas brasileiras com operações nos EUA.

Dados relação Brasil-EUA

Os Estados Unidos segue sendo um dos principais parceiros comerciais do Brasil. No que tange a relação bilateral BRASIL-EUA, aumentamos em 21% as exportações de produtos brasileiros no período de janeiro a abril deste ano. A corrente de comércio segue equilibrada, totalizando 16 bilhões de dólares e mantendo o histórico de relação saudável comercialmente.



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar