acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

Alstom assina contrato para reforma em complexo hidrelétrico na Bahia

22/12/2009 | 11h32
A Alstom assinou um contrato de 22 milhões de euros com a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (CHESF) para reforma das unidades geradoras das usinas hidrelétricas Paulo Afonso I e Paulo Afonso II, que fazem parte do complexo hidrelétrico de Paulo Afonso, situado no rio São Francisco, no estado da Bahia.

 

A empresa será responsável pela desmontagem, projeto, fabricação, adequação dos componentes, montagem, supervisão e seguro dos equipamentos. A Alstom também fará estudos para manter a eficácia dos novos maquinários.

 

Em Paulo Afonso I, a empresa fará a reforma de três unidades geradoras que produzem no total 180MW e que entraram em operação em 1955. As comportas de setor de tomada de água, conjuntos de grades, geradores, turbina e comportas de sucção serão modernizados. Em Paulo Afonso II, a Alstom vai reformar seis unidades que geram 443MW, sendo que a primeira unidade entrou em funcionamento em 1961. Além de contar com a modernização dos mesmos componentes de Paulo Afonso I, terá a readequação dos sistemas de resfriamento e iluminação.

 

A previsão de conclusão das obras é o final de 2012, quando Paulo Afonso I passará a gerar cerca de 11% a mais de energia e Paulo Afonso II mais 19%.

 

Todos os componentes serão feitos na fábrica de Taubaté, no interior de São Paulo, unidade capaz de produzir e oferecer o portfolio completo de produtos e serviços em Hydro, como todos os tipos de turbinas, geradores para todas as aplicações, equipamentos hidromecânicos e para PCHs (pequenas centrais hidrelétricas). A fábrica emprega cerca de 800 pessoas na área de manufatura e contribui com projetos no mercado local e da América Latina, assim como em todo o mundo, com projetos em diferentes países como a China e a Índia.
 

“A Alstom tem atuado como importante parceiro na recuperação de plantas. Os equipamentos reformados neste caso, por exemplo, foram fabricados por outro fornecedor, mas a empresa fará todos os ajustes necessários, demonstrando capacidade técnica e experiência para realizar esse trabalho em diversos tipos de usinas em todo o território nacional”, afirma Marcos Costa, vice-presidente de Energia da Alstom no Brasil e na América Latina.

 

A Alstom é líder mundial em geração de energia, com um market share de 35% no mercado brasileiro de equipamentos e sistemas para o setor. A empresa forneceu equipamentos para mais de 50% da base instalada no Brasil e é líder na área industrial de produção de máquinas para hidrelétricas no País. Nos últimos dez anos, produziu mais de 100 turbinas e geradores para projetos de energia nacionais.

 

As plantas com mais de 20 anos e cujos geradores ultrapassam 120 mil horas de operação devem ser objeto de grandes trabalhos de manutenção para produzir capacidade extra. No Brasil, cerca de 60 usinas hidrelétricas com mais de 30 MW têm 30 anos de idade e necessidade de modernização, o que representa 33 GW de energia elétrica. A Alstom assinou recentemente um contrato de modernização das unidades 3 e 4 da Usina Presidente Médici - UTPM - Candiota, localizada perto da cidade de Candiota, no Rio Grande do Sul, com a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE).


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar