acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
13° Rodada

Alguns blocos arrematados e muitos sem oferta

07/10/2015 | 11h36
Alguns blocos arrematados e muitos sem oferta
Banco de Imagens TN Petróleo Banco de Imagens TN Petróleo

 

Situada nas regiões Nordeste e Norte do Brasil, a Bacia do Parnaíba (Setores SPN-N e SPN-O) teve os primeiros blocos leiloados na 13° Rodada de Licitação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dos 22 blocos em terra, oito não tiveram oferta.
Setor SPN-N 
O consórcio Parnaíba Gás Natural/GDF Suez Brasil arrematou os blocos PN-T-101 e PN-T-103; o consórcio Parnaíba Gás Natural/BPMB Parnaíba ficou com o PN-T-69 e o PN-T-87, enquanto o BPMB Parnaíba/Parnaíba Participações teve sucesso no PN-T-84. A OP Energia venceu o BID no bloco PN-T-85.
Setor SPN-O
A Parnaíba Gás Natural/GDF Suez Brasil arrematou os blocos PN-T-146 e PN-T-163; a OP Energia ficou com os blocos PN-T-14 e PN-T-152, enquanto a Vipetro teve sucesso no PN-T-149.
Bônus Acumulado
Ao todo, o bônus acumulado alcançou R$ 10.746.666,71.
Blocos sem oferta
Os blocos Spot T-2 e Spot T-3 da Bacia Potiguar, SES-AP1 e SES-AP2 da bacia do Espírito Santo, e os blocos marítimos Seal AP1 e Seal AP2 da bacia Sergipe-Alagoas não tiveram ofertas. 

Situada nas regiões Nordeste e Norte do Brasil, a Bacia do Parnaíba (Setores SPN-N e SPN-O) teve os primeiros blocos leiloados na 13° Rodada de Licitação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Dos 22 blocos em terra, oito não tiveram oferta.

Setor SPN-N 

O consórcio Parnaíba Gás Natural/GDF Suez Brasil arrematou os blocos PN-T-101 e PN-T-103; o consórcio Parnaíba Gás Natural/BPMB Parnaíba ficou com o PN-T-69 e o PN-T-87, enquanto o BPMB Parnaíba/Parnaíba Participações teve sucesso no PN-T-84. A OP Energia venceu o BID no bloco PN-T-85.  Ao todo, o bônus acumulado alcançou R$ 10.746.666,71.

Setor SPN-OA

O consórcio Parnaíba Gás Natural/GDF Suez Brasil arrematou os blocos PN-T-146 e PN-T-163; a OP Energia ficou com os blocos PN-T-14 e PN-T-152, enquanto a Vipetro teve sucesso no PN-T-149.

Blocos sem oferta

Os blocos Spot T-2 e Spot T-3 da Bacia Potiguar, SES-AP1 e SES-AP2 da bacia do Espírito Santo, e os blocos marítimos Seal AP1 e Seal AP2 não tiveram ofertas. 

Bacia Potiguar

Situada no extremo oeste da margem equatorial brasileira, compreende uma parte emersa e outra submersa, ocupando grande parte do estado do Rio Grande do Norte e uma pequena porção do Ceará. Trata-se de bacia madura, encontra-se em estágio de exploração. Somente seis dos 71 blocos foram ofertados.

Setor SPOT T4

O consórcio liderado pela UTC Exploração e Produção / Phoenix arrematou os blocos POT-T-743 e POT-T-744; a UTC venceu o POT-T-741 e a empresa Imetame ficou com POT-T-699.

 

Bacia do Jacuípe

Não houve oferta.

 

Bacia do Espírito Santo

Não houve oferta.

 

Bacia do Camamu-Almada

Não houve oferta.

 

Bacia Sergipe-Alagoas

A Queiroz Galvão deu o único lance e arrematou os blocos SEAL-M-351 e SEAL-M-428 da bacia marítima mais promissora da 13° Rodada: Sergipe-Alagoas. Situada na margem continental da região Nordeste, a bacia abrange parte dos estados de Sergipe e Alagoas. Em sua porção em águas profundas, é classificada como bacia de nova fronteira.

No primeiro bloco, o bônus de assinatura corresponde à R$ 80.613.276,74. Área total de 756,86 km; já no segundo, o bônus chegou a R$ 116.756.876,53.

Bacia de Pelotas

Localizada no extremo-sul da margem continental leste brasileira, a bacia estende-se desde o Alto de Florianópolis, limite geológico com a Bacia de Santos, até a fronteira geográfica com o Uruguai. Muito pouco conhecida e explorada, possui potencial promissor. O setor SP-AUP4 não teve ofertas.

Bacia do Recôncavo

Foram arrematados três blocos e 19 ficaram sem oferta. O REC-T-108 ficou com a Oil M&S, o REC-T-T62 com a Alvopetro / GDF Suez Brasil, o REC-T-T-61 com a Alvopetro / GDF Suez Brasil e o REC-T-99 com a Imetane. O bônus de assinatura corresponde à R$ 108.601.960,73.

A empresa Tarmar faturou os blocos REC-T-152, 154, 178, 236

Setor SREC-74

O consórcio Geopark / Geopar Geosol levou o bloco REC-T-128; Os blocos T-141 e T-153 ficaram com a Petrosynergy e a Tek; O T-145 teve como vencedor o consórcio Alvopetro/GDF Suez Brasil. O Bloco T-180 teve foi leiloado para a Tarmar; e, por fim, o bloco T-212 foi vendido para a Inmetame. 14 blocos não tiveram oferta.


 




Fonte: Redação TN Petróleo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar