acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Limpa

Alemã Hailo vai produzir no país escada para torre eólica

02/02/2011 | 10h01
Pioneira no mundo na fabricação de escadas de alumínio em escala industrial, a alemã Hailo se prepara para estrear no mercado brasileiro, de olho no segmento de consumo doméstico e no potencial de negócios que o setor de energia eólica oferece no país.
 
 
Com investimento inicial de R$ 2 milhões, a multinacional construirá sua primeira unidade fabril nas Américas no município de Jaguariúna, interior de São Paulo, onde vai produzir, inicialmente, escadas para torres eólicas. "O Brasil servirá como plataforma de abastecimento para outros mercados latino-americanos, sobretudo Argentina, Chile e Uruguai", afirma o diretor geral da multinacional para o Brasil, Patrick Rosat.
 
 
Assim como ocorreu no país, foi a necessidade de equipamentos para a construção de parques de energia eólica que chamou a atenção da alemã para outros mercados latino-americanos. No Brasil, a estimativa da multinacional é a de que sejam negociadas, anualmente, mil torres eólicas.
 

Num primeiro momento, conta Rosat, a fábrica de Jaguariúna, com início de operação previsto para o segundo semestre, produzirá 500 escadas para torres por ano. No segundo ano, a capacidade poderá ser dobrada, conforme a demanda no mercado doméstico. Nessa fase, a Hailo começará a olhar para contratos fora do Brasil.
 

O primeiro cliente da alemã no país é a GE, com a qual firmou contrato de fornecimento de escadas e sistemas de trava-quedas para 270 torres. Essa primeira venda foi fechada por meio de parceria com o grupo espanhol Gestamp, que já conta com uma fábrica local de torres eólicas. "Seremos os primeiros a ter uma unidade de escadas no país, o que pode ser uma vantagem frente a outros fornecedores", diz Rosat.
 

Na unidade de Jaguariúna, a Hailo irá trabalhar com perfis de alumínio, de forma que as escadas serão apenas montadas. Na Alemanha, por exemplo, a companhia compra alumínio de usinas e transforma o insumo em escadas. Segundo o diretor, serão gerados até 20 empregos diretos e cerca de 100 postos indiretos a partir da implantação da fábrica.
 
 
Além da aposta no segmento de energia eólica, a Hailo vê potencial de novos negócios na área de escadas para fins industriais. Obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e relacionadas à ocorrência da Olimpíada e da Copa do Mundo no país devem gerar encomendas à multinacional. "Mais adiante, poderemos produzir outros tipos de escadas no Brasil", afirma Rosat. Até que a decisão seja tomada, a empresa importará escadas para uso doméstico produzidas na França, que serão comercializadas em home centers brasileiros.
 

Em 2010, conta o diretor, a multinacional obteve faturamento de € 100 milhões - a empresa não informa a previsão de receitas no Brasil. Das vendas globais, entre 60% e 70% foram relativas a escadas de uso doméstico. Fundada em 1947, é uma das principais fornecedoras de escadas e cestos de aço inox da rede Leroy Merlin na França. Desde o início de suas operações, já produziu mais de 30 milhões de cestos de lixo e mais de 20 milhões de escadas. A empresa tem fábricas na Alemanha, Estados Unidos, China, Índia e França.


Fonte: Valor Econômico
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar