acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Empresas

AkzoNobel negocia aquisição de empresa chinesa

29/07/2011 | 15h50
A AkzoNobel planeja fortalecer ainda mais sua posição de liderança em especialidades surfactantes e reforçar sua capacidade de fabricação na Ásia, por meio da aquisição da Boxing Oleochemicals. A Boxing é a fornecedora líder de amina nitrílica e derivados na China e em toda a Ásia.

 

Fundada em 1993 e com sede na província de Shandong, a Boxing teve um faturamento em 2010 de cerca de € 100 milhões. Suas atividades serão integradas aos negócios da Surface Chemistry da AkzoNobel, líder global na fabricação e fornecimento de especialidades surfactantes, aditivos sintéticos e biopolímeros, utilizados como ingredientes na formulação, assim como auxiliares de processo, em diversas aplicações, que vão desde cuidados pessoais e domésticos até pavimentação de estradas de asfalto. 

 

A demanda na Ásia por aminas e derivados está sendo impulsionada pelo aumento da população, pelo crescimento da classe média, pelo interesse cada vez maior em sustentabilidade e pelo desenvolvimento da infra-estrutura que se apresenta evidente na China e na Índia. “Esta é uma excelente oportunidade que vai ao encontro da nossa meta estratégica de acelerar o crescimento na Ásia, mantendo o nosso compromisso de ter a produção perto de onde estão localizados nossos clientes”, revela Rob Frohn, membro do Comitê Executivo da AkzoNobel responsável por Especialidades Químicas. “A posição de liderança da Boxing no mercado de aminas, complementará o crescente negócio de especialidade surfactantes da AkzoNobel na Ásia. A aquisição também irá gerar uma unidade de produção local bastante forte na região.”

 

Bob Margevich, Gerente Geral de Química de Superfície da AkzoNobel acrescentou: “A demanda por aminas e seus derivados deve aumentar significativamente nos próximos anos e um terço da demanda por aminas na Ásia vem unicamente da China. Pretendemos aumentar tanto a capacidade de processo, quanto a do site de Shandong,  por meio da introdução de nossa tecnologia de produção de última geração. Com base no conhecimento sobre produtos e aplicações da AkzoNobel, também iremos introduzir novos produtos no mercado.”

 

A conclusão da transação está sujeita às condições específicas, incluindo a aprovação das autoridades chinesas. A finalização é esperada para o último trimestre de 2011.


Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar