acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Rio Oil & Gas 2012

Air Liquide Brasil apresenta soluções completas para o setor offshore

18/09/2012 | 09h28

A Air Liquide Brasil, unidade da multinacional francesa Air Liquide - líder mundial na produção de gases para indústria, saúde e meio ambiente -, estreia sua participação na feira Oil & Gas, apresentando soluções completas para a indústria offshore junto com suas unidades MEDAL e Air Liquide Global E&C Solutions (Soluções Globais de Engenharia & Construções). A Oil & Gas ocorrerá de 17 a 20 de setembro próximo, no Rio de Janeiro. O estande da ALB estará no pavilhão da Ubifrance.

 

A Air Liquide atua há muitos anos na atividade offshore e atualmente detém um foco maior no setor em razão das necessidades cada vez maiores dos diversos players. “Vamos apresentar uma oferta ‘one stop shop’ de produtos, equipamentos e serviços para o setor offshore. Conhecemos suas necessidades, a importância e a responsabilidade de fornecer produtos que preencham e superem todas as especificações requeridas”, diz José Antonio Cunha, gerente de negócios da Air Liquide Brasil.

“Isso significa que o cliente conseguirá tudo que está relacionado a gases para o setor offshore em um só local, de uma só vez”, explica.

 

“Nossa oferta para setor é completa e por isso abrange todas as atividades envolvidas, como soldagem, inertização, análise, mergulho, medicinal, resfriamento e uma linha de gases dedicada a aplicações offshore entre outros. Além disso, nossos produtos e equipamentos estão em conformidade com os mais altos padrões de qualidade, atendendo todas as normas do setor de óleo e gás”, acrescenta Cunha.

 

O gerente de Negócios enfatiza ainda que a Air Liquide Brasil possui especialistas localizados regionalmente para atendimento técnico das empresas e um time comercial para o suporte ao usuário no dia a dia do trabalho. “A Air Liquide tem a capacitação da aplicação e do manuseio dos produtos e equipamentos, por exemplo, de gases de solda e para inertização, nitrogênio, hélio, gás para mergulho, cilindros, tanques criogênicos, isocontêineres, quadros DNV, entre outros”, diz Cunha.

 

A divisão MEDAL fabrica unidades geradoras de gases com uma das melhores tecnologias que alia eficiência e economia. A E&C oferece projetos de plantas, engenharia e construção, que incorporam processos limpos e energeticamente eficientes para a produção de gases industriais, projetos limpos de conversão, instalações de limpeza de gás de refinaria e instalações para a produção de petroquímicos e polímeros.

 

William Keller, gerente de vendas dos módulos de membranas N2 da MEDAL, em Newport, Delaware (EUA), diz que a tecnologia empregada ajudará plataformas offshore a ter uma fonte constante de gás e a economizar tempo em logísticas, evitar “dores de cabeça” no manuseio de materiais, e dinheiro. Os módulos de membranas N2 de separação de gás, os mais avançados do mundo, geram gases inertes para recuperação de hidrocarbonetos terciários e para remover o dióxido de carbono (CO2), a partir do gás natural. Os módulos também recuperam hidrogênio a partir de processos de refino e geram biogás a partir de fontes renováveis.

 

O diretor geral - América Latina Air Liquide Global E & C Solutions, Gunnar T. Nilsson, explica que as tecnologias para refino da divisão atendem tanto processos convencionais quanto integrados para conversão de matérias-primas como hidrocarbonetos em combustíveis. Essas tecnologias incluem oxidação parcial e soluções completas na gestão do  enxofre entre outros e uma vasta experiência na implementação de hidrocraqueamento, hidrotratamento e projetos de craqueamento catalítico fluido. Ainda, oferece soluções de tecnologia na petroquímica e segmentos de negócios renováveis.

 

“Temos boas expectativas quanto aos resultados que poderão ser obtidos com a feira, pois a Air Liquide detém toda a expertise para o mercado offshore, que está aquecido diante da expansão da atividade do pré-sal e de outros investimentos no setor, fora do país”, observa Cunha.



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar