acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
Mercado

AIE mantém previsão de demanda global para 2006 e 2007

15/08/2006 | 00h00

PARIS - A Agência Internacional de Energia (AIE) manteve sua previsão para a demanda global de petróleo para 2006 e 2007, mas, por causa dos problemas da British Petroleum no Alasca, reduziu sua estimativa da oferta, em seu relatório mensal divulgado na sexta-feira. A AIE avalia a demanda global em 84,8 milhões de barris diários (mbd) para este ano (1,4% a mais que em 2005) e 86,4 mbd em 2007 (1,9% acima de 2006). A expectativa de um crescimento maior nos países emergentes, como a China, foi compensada por uma revisão em baixa nos países industrializados.

A agência reduziu ligeiramente (46 mil barris diários), para 49,6 mbd, a demanda da OCDE (grupo dos países desenvolvidos) em 2006. A projeção para 2007 é de 50 mbd. O relatório diz que é "cedo" por enquanto para modificar suas previsões da demanda por causa do anúncio da Polícia britânica, que desarticulou um complô para explodir aviões em vôo para os Estados Unidos.

Em julho, a oferta mundial de petróleo aumentou em 615 mil barris diários e chegou a 85,5 mbd. A demanda era de 84,6 mbd. O fechamento da jazida de Prudhoe Bay (400 mil barris diários), anunciado pela BP devido à corrosão de um oleoduto, levou a AIE a reduzir a sua estimativa da oferta de produtores que não são da Opep em 220 mil barris diários para este ano e em 30 mil para 2007. A média ficou em 51,1 mbd em 2006 e em 53 mbd em 2007.

A oferta de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) caiu em julho 225 mil barris, ficando em 29,8 mb/d, devido às obras de manutenção na Venezuela e a baixas na Nigéria e no Iraque.

Os estoques dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) aumentaram em 0,74 mbd no segundo trimestre e chegaram a 67 milhões de barris. É o bastante para cobrir 54 dias de demanda, um dia a mais que há um ano.

Em relação aos preços, a AIE lembrou que o Brent alcançou um recorde de US$ 78,69 no dia 8 de agosto, depois de a BP fechar Prudhoe Bay. Problemas com oleodutos também reduziram a produção da Nigéria em 750 mil barris diários. Além disso, as preocupações geopolíticas no Oriente Médio têm contribuído para a alta dos preços.

Em sua análise, a AIE diz que com a contínua deterioração da oferta poderia parecer surpreendente que os preços não estivessem mais altos. Mas ressalta que os problemas geopolíticos e de produção são menos determinantes para o mercado do que parecem. Apesar de o fechamento temporário de Prudhoe Bay representar uma perda significativa, há compensações potenciais por parte da Arábia Saudita, entre outros.



Fonte: Gazeta Mercantil / E
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar