acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Bioenergia

Agrenco e Marubeni se unem para produzir energia limpa

22/02/2007 | 00h00

O grupo industrial japonês Marubeni Corporation vai investir US$ 40 milhões na Agrenco Bioenergia para a construção de três parques de bioenergia no Brasil. Os parques compreendem três usinas de biodiesel, duas indústrias de esmagamento de soja e duas usinas de co-geração de energia elétrica, anunciou a Agrenco, nesta quinta-feira (22/02).

Serão cultivados cerca de 10.000 hectares de napier (uma gramínea) para produção de biomassa, que será queimada para a geração de energia elétrica. As sementes oleaginosas serão compradas de produtores e cooperativas locais. As usinas serão construídas na cidade de Alto Araguaia, no estado de Mato Grosso, Caarapó, no estado de Mato Grosso do Sul e na cidade de Céu Azul, no Paraná.

A Agrenco informa que neste empreendimento, a Marubeni terá participação de 33% e a Agrenco os 67% restantes. As duas empresas deverão subscrever e integralizar o capital de US$ 120 milhões, de um investimento total de US$ 190 milhões em ativo fixo e capital de giro, explica a companhia. O diretor geral do Grupo Agrenco, Antonio Iafelice, acrescenta: “Nosso projeto está totalmente integrado, o que significa que produziremos não apenas biodiesel, mas também energia elétrica para nossas instalações e para venda no mercado à vista”.

Os parques de bioenergia deverão produzir B-100, o biodiesel puro que, segundo a empresa holandesa, pode ser utilizado em qualquer veículo sem adaptação. “Desde o início, decidimos produzir conforme as regulamentações européias, americanas e japonesas, a fim de atender as necessidades de nossos clientes em potencial”, explica Iafelice. O bio-combustível será produzido de acordo com a regulamentação EN 14424 da Comunidade Européia.

As indústrias de esmagamento de soja serão responsáveis pela produção, em larga escala, de farelo de soja com maior teor protéico que a média hoje produzida no Brasil. Este farelo destina-se ao mercado de rações,local e internacional.

De acordo com o contrato de fornecimento para dez anos assinado entre as duas empresas em 2005, a Marubeni Corporation tem direito de venda prioritária dos produtos da Agrenco originados na América do Sul para o Japão e outros mercados asiáticos, exceto a China. Assim, Marubeni detém os direitos de venda prioritária para o biodiesel e farelo de soja de alta proteína da Agrenco nestes mercados. Este é o primeiro investimento da Marubeni Corp. em bioenergia no Mundo.



Fonte: Redação
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar