acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Nuclear

Agência nuclear defende adoção do modelo de Angra 3 em usinas no Nordeste

25/06/2010 | 07h52

O diretor da Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (Abacc), Lothário Deppe, defendeuontem  (24) no Rio a adoção do mesmo modelo da Usina Angra 3 na construção das centrais nucleares no Nordeste, adaptando o projeto às condições da região, principalmente quanto ao solo e à temperatura.

 

Engenheiro nuclear com formação nos Estados Unidos e com 30 anos de serviço na área de projetos e construção de centrais nucleares na Nuclen/Eletronuclear, Deppe considerou que seria “um desperdício” a abertura de licitação internacional para as novas usinas no Nordeste.

Ele participou do simpósio anual da Seção Latino-Americana da Sociedade Nuclear Americana (LAS-ANS), onde ressaltou que o Brasil tem tecnologia, experiência e pessoal capacitado para aplicar nas novas centrais nucleares o projeto de Angra 3, o que irá garantir que as novas unidades sejam 100% nacionais.

Deppe disse à Agência Brasil que isso permitirá que as obras fiquem entre 30% e 40% mais baratas, além de representar “a maximização e otimização da participação nacional”. As estimativas iniciais indicam que as usinas do Nordeste poderão custar entre R$ 10 bilhões e R$ 12 bilhões.

Segundo o diretor da Abacc, será usada tecnologia nacional, que já foi transferida ao Brasil pela Alemanha graças ao acordo bilateral firmado em 27 de junho de 1975. O tratado completa 35 anos no próximo domingo.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar