acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia Nuclear

Agência internacional alerta para riscos de acidentes nucleares

10/09/2012 | 18h03

 

Um ano e meio depois dos acidentes radioativos na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão, o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Yukiya Amano, disse nesta segunda-feira (10) que é fundamental manter a atenção sobre os cuidados com a segurança no setor. Em dezembro, as autoridades japonesas e estrangeiras avaliarão as medidas adotadas após as explosões e os vazamentos ocorridos na usina.
“Não devemos relaxar nem abrir a guarda e perder de vista o objetivo final, que é o de tornar a energia nuclear tão segura enquanto estiver ao alcance humano em todo o mundo e para restaurar a confiança do público”, disse o diretor-geral da Aiea, na reunião de governadores da agência, em Viena, na Áustria.
Amano disse que foi feita uma revisão sistemática dos padrões de segurança da Aiea para analisar as lições obtidas a partir dos acidentes no Japão e o que deve ser feito para evitá-los. Segundo ele, as medidas se baseiam em aumentar a segurança dos reatores e dos reservatórios de combustíveis, assim como a transparência na área de comunicação.
Em julho de 2013, a agência promoverá a Conferência Internacional sobre Segurança Nuclear. Em 11 de março de 2011, um terremoto seguido de tsunami provocou uma série de explosões e vazamentos na Usina de Fukushima. Os acidentes nucleares levaram ao isolamento da área e à proibição da venda e do consumo de produtos da região.

Um ano e meio depois dos acidentes radioativos na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi, no Nordeste do Japão, o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Yukiya Amano, disse nesta segunda-feira (10) que é fundamental manter a atenção sobre os cuidados com a segurança no setor. Em dezembro, as autoridades japonesas e estrangeiras avaliarão as medidas adotadas após as explosões e os vazamentos ocorridos na usina.


“Não devemos relaxar nem abrir a guarda e perder de vista o objetivo final, que é o de tornar a energia nuclear tão segura enquanto estiver ao alcance humano em todo o mundo e para restaurar a confiança do público”, disse o diretor-geral da Aiea, na reunião de governadores da agência, em Viena, na Áustria.


Amano disse que foi feita uma revisão sistemática dos padrões de segurança da Aiea para analisar as lições obtidas a partir dos acidentes no Japão e o que deve ser feito para evitá-los. Segundo ele, as medidas se baseiam em aumentar a segurança dos reatores e dos reservatórios de combustíveis, assim como a transparência na área de comunicação.


Em julho de 2013, a agência promoverá a Conferência Internacional sobre Segurança Nuclear. Em 11 de março de 2011, um terremoto seguido de tsunami provocou uma série de explosões e vazamentos na Usina de Fukushima. Os acidentes nucleares levaram ao isolamento da área e à proibição da venda e do consumo de produtos da região.

 



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar