acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
publicidade
ANP

Agência autoriza Petrobras a importar GNL

11/07/2008 | 09h35

A ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis) autorizou a Petrobras a importar gás natural liqüefeito em volume equivalente a até 20 milhões de metros cúbicos por dia de gás. A previsão para início da importação é o segundo semestre deste ano e terá como finalidade principal abastecer usinas termelétricas.

 

A garantia da ANP permite que o produto também seja usado pelos mercados consumidores das distribuidoras de gás canalizado dos estados do Ceará (Cegás), Espírito Santo, Minas Gerais, Rio, Rio Grande do Norte e São Paulo.

 

Para José Rego Filho, presidente da Cegás (Companhia de Gás do Ceará), o Estado se beneficia porque há uma disposição para o consumo.

 

"O navio de regaseificação previsto para chegar no Estado no início de agosto vai permitir que a companhia distribua 2,75 milhões de metros cúbicos/dia de gás natural para as duas térmicas locais e atender ao mercado atual de 500 mil metros cúbicos/dia", explicou.

 

"A Petrobras fica também com a possibilidade de mandar o produto para o abastecimento da térmica do Rio Grande do Norte", acrescentou.

 

Segundo Rego, dos 2,75 milhões de metros cúbicos de gás natural destinados ao abastecimento das termelétricas do Estado, 1,2 milhão de metros cúbicos irão para Termoceará e 1,55 milhão m³ para a Termofortaleza.

 

"Os sete milhões de metros cúbicos/dia que poderão ser regaseificados no Ceará vai motivar uma demanda compatível com a oferta".

 

"Quando o governo estadual e federal ajustaram com a Petrobras a vinda do navio de regaseificação é porque os contratos de importação já estavam negociados", frisou.

 

O mercado comercial do gás natural permanece inalterado, de acordo com José Rego. Os 500 mil metros cúbicos disponibilizados estão atendendo de forma satisfatória os segmentos industrial, automotivo e também de co-geração.

 

Gás veicular

 

O consumo de gás veicular experimenta uma certa retração, principalmente em função da política de reajuste trimestral da Petrobras. "A qualquer momento, o produto pode aumentar", destacou o presidente da Cegás.

 

Outra medida que não está sendo estimulada, mas que traz economia para o consumidor está relacionada com rota para o Interior, principalmente para veículos. "Há o benefício econômico quando é possível fazer um longo percurso abastecendo com gás natural".

 

Atualmente, já existem postos em Quixadá, Limoeiro do Norte, Tabuleiro, Aracati, Horizonte e Sobral. Em todo o Estado, incluindo Fortaleza, são 78 locais que comercializam o gás natural veicular. Há previsão de dez novos postos serem implantados ainda este ano.

 

No Pecém

 

A Petrobras poderá comprar o gás natural no chamado mercado spot, sem país previamente definido, e com transporte por meio de navios.

 

Um dos terminais de regaseificação está localizado no Ceará e a previsão é que a embarcação atraque no local no próximo dia 27 de julho, com a embarcação contendo a primeira carga de GNL devendo chegar ao Porto do Pecém nos primeiros dias do mês de agosto.

 

O navio de regaseificação de GNL fretado pela Petrobras deixou o estaleiro Keppel, em Cingapura, no último dia 11 de junho, às sete da manhã. É durante o percurso que ele será abastecido em Trinidad & Tobago. O processo de transformação do gás liquido para gasoso é feito dentro do navio.

 

O GNL é transportado a uma temperatura de 162° centígrados negativos e a regaseificação ocorre a bordo do navio. Em seguida, o gás é injetado na malha de gasodutos.

 

Mais segurança

 

A chegada da embarcação e o início da operação do terminal permitirão tanto maior flexibilidade quanto mais segurança na oferta de gás natural aos mercados térmico e não-térmico do país. Esta é a primeira embarcação metaneira no mundo convertida para realizar a regaseificação de GNL a bordo. Além da conversão do gás natural do estado líquido para o gasoso, também permite o armazenamento do produto em seus tanques criogênicos.

 

A capacidade de processamento do navio, chamado Golar Spirit, é de 7 milhões de metros cúbicos/dia e a de armazenamento, 129 mil metros cúbicos de GNL, o equivalente a 77 milhões de metros cúbicos.

 

Com 289 metros de comprimento e 56 de altura, o Golar Spirit foi convertido no estaleiro Keppel, em Cingapura. A obra, iniciada em outubro de 2007, foi concluída no prazo recorde: oito meses.



Fonte: Diário do Nordeste - CE
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar