acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Infraestrutura

Aeroporto Internacional de Cabo Frio cresce com petróleo e gás

01/10/2012 | 10h10

 

Construído no final dos anos 1990 para receber turistas vindos principalmente da Argentina, o Aeroporto Internacional de Cabo Frio, no Rio, se transforma agora para ser um grande centro da indústria do petróleo e gás.
Até 2014, serão investidos R$ 60 milhões na ampliação do pátio de aeronaves e na construção de novos terminais de cargas e passageiros para atender empresas como a Petrobras, a OGX e a BP.
A indústria petrolífera também movimenta outros aeroportos regionais do estado, como o de Macaé, sob gestão da Infraero (empresa que administra os aeroportos), e o municipal de Maricá.
Só de janeiro a agosto deste ano, o desembarque de cargas em Cabo Frio - máquinas, equipamentos e insumos industriais - vindas do exterior para as petrolíferas cresceu 75,7% em relação ao mesmo período de 2011.
Proporcionalmente, o aumento verificado na cidade é superior ao registrado no transporte de cargas em Cumbica (18,5%) e Viracopos (-5,45%), em São Paulo, e no Galeão (32,4%), no Rio, durante o mesmo período.
Atualmente, três voos cargueiros semanais vindos de Miami (EUA) chegam ao aeroporto. E, há 20 dias, a Libra Aeroportos, atual concessionária de Cabo Frio, fechou acordo com a Lufthansa para cargas de transferência.
Segundo o diretor da empresa, Pedro Orsini, novos voos internacionais poderão chegar a Cabo Frio. "Temos equipes nos Estados Unidos fazendo corpo a corpo e mostrando as vantagens de operar no aeroporto", disse.
Já os embarques e desembarques de passageiros cresceram 48,8% neste ano em relação ao mesmo período de 2011, e os pousos aumentaram 61,7%.
Nos dois casos, a maioria é de funcionários e helicópteros das plataformas de petróleo em alto mar.
"O nosso entendimento é que queremos crescer", disse Orsini. "A concorrência com o Galeão é sadia. Estamos lá para concorrer. Cada um tem seu nicho e a nossa perspectiva é crescer ainda mais", completou.
Ampliação
De acordo com a Libra Aeroportos, serão mais 30 posições para helicópteros, 16 mil m² de área coberta para cargas e um terminal com capacidade para até 1,2 milhão de passageiros por ano.
Atualmente, o aeródromo tem 13 posições para helicópteros (em operação simultânea), 70 mil m² de área de carga (alfandegada) e terminal para 300 passageiros (por voo), além da capacidade de receber aviões cargueiros.
A próxima etapa da Libra é obter autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para importação de substâncias para a indústria farmacêutica.
No terminal de cargas, áreas específicas para os produtos já estão construídas.

Construído no final dos anos 1990 para receber turistas vindos principalmente da Argentina, o Aeroporto Internacional de Cabo Frio, no Rio, se transforma agora para ser um grande centro da indústria do petróleo e gás.


Até 2014, serão investidos R$ 60 milhões na ampliação do pátio de aeronaves e na construção de novos terminais de cargas e passageiros para atender empresas como a Petrobras, a OGX e a BP.


A indústria petrolífera também movimenta outros aeroportos regionais do estado, como o de Macaé, sob gestão da Infraero (empresa que administra os aeroportos), e o municipal de Maricá.


Só de janeiro a agosto deste ano, o desembarque de cargas em Cabo Frio - máquinas, equipamentos e insumos industriais - vindas do exterior para as petrolíferas cresceu 75,7% em relação ao mesmo período de 2011.


Proporcionalmente, o aumento verificado na cidade é superior ao registrado no transporte de cargas em Cumbica (18,5%) e Viracopos (-5,45%), em São Paulo, e no Galeão (32,4%), no Rio, durante o mesmo período.


Atualmente, três voos cargueiros semanais vindos de Miami (EUA) chegam ao aeroporto. E, há 20 dias, a Libra Aeroportos, atual concessionária de Cabo Frio, fechou acordo com a Lufthansa para cargas de transferência.


Segundo o diretor da empresa, Pedro Orsini, novos voos internacionais poderão chegar a Cabo Frio. "Temos equipes nos Estados Unidos fazendo corpo a corpo e mostrando as vantagens de operar no aeroporto", disse.


Já os embarques e desembarques de passageiros cresceram 48,8% neste ano em relação ao mesmo período de 2011, e os pousos aumentaram 61,7%.


Nos dois casos, a maioria é de funcionários e helicópteros das plataformas de petróleo em alto mar.


"O nosso entendimento é que queremos crescer", disse Orsini. "A concorrência com o Galeão é sadia. Estamos lá para concorrer. Cada um tem seu nicho e a nossa perspectiva é crescer ainda mais", completou.


Ampliação


De acordo com a Libra Aeroportos, serão mais 30 posições para helicópteros, 16 mil m² de área coberta para cargas e um terminal com capacidade para até 1,2 milhão de passageiros por ano.


Atualmente, o aeródromo tem 13 posições para helicópteros (em operação simultânea), 70 mil m² de área de carga (alfandegada) e terminal para 300 passageiros (por voo), além da capacidade de receber aviões cargueiros.


A próxima etapa da Libra é obter autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para importação de substâncias para a indústria farmacêutica.


No terminal de cargas, áreas específicas para os produtos já estão construídas.

 



Fonte: Folha de São Paulo
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar