acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Restrição

Acesso de caminhões ao Porto de Santos deve continuar restrito até sexta

07/04/2015 | 10h04

A restrição do acesso de caminhões ao Porto de Santos vai continuar pelo menos até sexta-feira (10), por decisão do Gabinete de Integração, que reúne setores da prefeitura e dos governos estadual e federal. A informação é da assessoria de imprensa da prefeitura de Santos. As barreiras de triagem instaladas na altura do km 39 das rodovias Anchieta e Imigrantes serão estendidas para outros pontos como o Rodoanel e as rodovias Anhanguera, Dutra e Ayrton Senna.

A descida da Serra será permitida apenas para os motoristas de caminhões que vão seguir para a margem esquerda do acesso ao porto, no caminho do Guarujá. Haverá exceção apenas para os que levam carga perecível, mas, para prosseguir viagem, os transportadores serão escoltados.

A medida foi tomada para evitar o caos no trânsito na entrada da cidade após o fechamento de um dos acessos por causa do incêndio na empresa armazenadora de combustíveis Ultracargo, no Terminal da Alemoa, na Baixada Santista. O fogo começou,às 10h da última quinta-feira (2) e já dura mais de 100 horas. Segundo a Ultracargo, o combate ao fogo agora é feito em dois tanques de gasolina.

“Nossa preocupação é preservar o direito e mobilidade do santista”, afirmou o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, em nota oficial.

O bloqueio está sendo operado em conjunto pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) e pela Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta/Imigrantes (SAI) e pela Polícia Rodoviária.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, nesta segunda-feira a corporação combatia o incêndio com 106 homens. Além do lançamento de espuma para controlar as chamas, é feito um trabalho de resfriamento para controlar a propagação. A Ultracargo informou que, para isso, estão sendo usados sete navios no bombeamento da água do mar.Não há previsão para o término desses trabalhos.



Fonte: Agência Brasil
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar