acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Energia

ABB recebe pedido de energia eólica no valor de $55 milhões

02/08/2012 | 11h11

 

ABB recebe pedido de energia eólica no valor de $ 55 milhões 
 
Infraestrutura de transmissão e subestações irão aumentar a geração de energia eólica
 
Zurique, Suíça, 25 de julho, 2012 – A ABB, grupo líder em tecnologias de energia e automação, recebeu um pedido no valor de cerca de $55 milhões para fornecer três novas subestações e a infraestrutura de transmissão para a concessionária Eólicas do Sul, registrado no segundo trimestre. O Brasil tem dependido fortemente de hidroelétricas para o fornecimento de eletricidade,no entanto, esse projeto é parte dos esforços do governo para aumentar a quota de energia eólica como parte de seu portfólio de energias renováveis. O Brasil teve um significante crescimento na área de eólica nos últimos anos. Hoje conta com uma capacidade instalada acima de 1.500 megawatts (MW) e com mais de 7.000MW que serão concluídas nos próximos cinco anos. O Brasil é o maior consumidor de energia da América Latina – consumindo duas vezes mais do que seus vizinhos Argentina, Chile e Uruguai. A capacidade instalada do país é de pouco mais de 100.000 MW, o que é comparável à Itália ou ao Reino Unido.
 
O Brasil vai continuar com suas metas de crescimento macroeconômico e industrial, sustentadas por uma população que deverá atingir aproximadamente 220 milhões até 2020. Essas tendências vão impulsionar a demanda por eletricidade a uma capacidade de geração de cerca de 150 mil MW até 2020. Além disso, o Brasil vai precisar de investimentos substanciais em infraestrutura, incluindo a expansão  de redes de transmissão e distribuição, para se conectar a fontes remotas de energia renovável  e de transmissão eficiente  por sua sua extensa área geográfica.
 
"Essas subestações vão ajudar a integrar a energia eólica e aumentar as fontes de fornecimento para atender a crescente demanda industrial, comercial e residencial," disse Brice Koch, responsável pela divisão de Sistemas de Potência da ABB. "Elas também irão reforçar a rede de transmissão e ajudar a melhorar a confiabilidade, eficiência e qualidade da energia."
A ABB vai projetar, fornecer, instalar e comissionar as subestações no Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai. O escopo do projeto inclui duas subestações turnkey de 34,5/138 quilovolts (kV), uma de 138/500 kV, transformadores elevadores e painéis isolados a gás e a ar. A ABB fornecerá também controle de supervisão e aquisição de dados (SCADA) e sistemas de telecomunicações, bem como IEC 61850 compatível com subestação de automação, e equipamentos de controle e proteção. Os transformadores elevadores vão aumentar a tensão da energia eólica para integração à rede elétrica.
 
A ABB também irá fornecer e instalar duas linhas aéreas de transmissão de 138 kV para fazer a ligação de uma nova usina eólica de 400 MW, uma dos maiores do país, à rede elétrica nacional. A conclusão do projeto está programada para 2014. Na rede elétrica, as subestações são as principais instalações que transformam os níveis de tensão e facilitam a transmissão e a distribuição segura e eficiente da eletricidade.  Incluem equipamentos que protegem e controlam o fluxo da energia elétrica. A ABB é líder mundial no fornecimento de subestações turnkey híbridas, isoladas a ar e a gás com níveis de tensão até 1.100 kV.

A ABB, grupo líder em tecnologias de energia e automação, recebeu um pedido no valor de cerca de $55 milhões para fornecer três novas subestações e a infraestrutura de transmissão para a concessionária Eólicas do Sul, registrado no segundo trimestre. O Brasil tem dependido fortemente de hidroelétricas para o fornecimento de eletricidade,no entanto, esse projeto é parte dos esforços do governo para aumentar a quota de energia eólica como parte de seu portfólio de energias renováveis. O Brasil teve um significante crescimento na área de eólica nos últimos anos. Hoje conta com uma capacidade instalada acima de 1.500 megawatts (MW) e com mais de 7.000MW que serão concluídas nos próximos cinco anos. O Brasil é o maior consumidor de energia da América Latina - consumindo duas vezes mais do que seus vizinhos Argentina, Chile e Uruguai. A capacidade instalada do país é de pouco mais de 100.000 MW, o que é comparável à Itália ou ao Reino Unido.

 

O Brasil vai continuar com suas metas de crescimento macroeconômico e industrial, sustentadas por uma população que deverá atingir aproximadamente 220 milhões até 2020. Essas tendências vão impulsionar a demanda por eletricidade a uma capacidade de geração de cerca de 150 mil MW até 2020. Além disso, o Brasil vai precisar de investimentos substanciais em infraestrutura, incluindo a expansão  de redes de transmissão e distribuição, para se conectar a fontes remotas de energia renovável  e de transmissão eficiente  por sua sua extensa área geográfica.

 

"Essas subestações vão ajudar a integrar a energia eólica e aumentar as fontes de fornecimento para atender a crescente demanda industrial, comercial e residencial," disse Brice Koch, responsável pela divisão de Sistemas de Potência da ABB. "Elas também irão reforçar a rede de transmissão e ajudar a melhorar a confiabilidade, eficiência e qualidade da energia".

 

A ABB vai projetar, fornecer, instalar e comissionar as subestações no Rio Grande do Sul, na fronteira com o Uruguai. O escopo do projeto inclui duas subestações turnkey de 34,5/138 quilovolts (kV), uma de 138/500 kV, transformadores elevadores e painéis isolados a gás e a ar. A ABB fornecerá também controle de supervisão e aquisição de dados (SCADA) e sistemas de telecomunicações, bem como IEC 61850 compatível com subestação de automação, e equipamentos de controle e proteção. Os transformadores elevadores vão aumentar a tensão da energia eólica para integração à rede elétrica.

 

A ABB também irá fornecer e instalar duas linhas aéreas de transmissão de 138 kV para fazer a ligação de uma nova usina eólica de 400 MW, uma dos maiores do país, à rede elétrica nacional. A conclusão do projeto está programada para 2014. Na rede elétrica, as subestações são as principais instalações que transformam os níveis de tensão e facilitam a transmissão e a distribuição segura e eficiente da eletricidade.  Incluem equipamentos que protegem e controlam o fluxo da energia elétrica. A ABB é líder mundial no fornecimento de subestações turnkey híbridas, isoladas a ar e a gás com níveis de tensão até 1.100 kV.



Fonte: Redação TN
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar