acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
Balanço

A empresa de transmissão CTEEP de São Paulo registra lucro líquido de R$ 4.949 milhões em 2016

24/02/2017 | 09h47

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) registrou lucro líquido de R$ 4.949 milhões em 2016. A receita operacional líquida atingiu R$ 7,789 bilhões, decorrente, sobretudo, do reconhecimento da remuneração dos ativos de concessão denominados RBSE – Rede Básica de Sistemas Existentes – no montante de R$ 6,5 bilhões.

“O ano de 2016 marcou a conclusão de um ciclo de profundas mudanças para a CTEEP, iniciado em 2012, quando aceitamos a prorrogação de contratos de concessão em um cenário de grande complexidade e significativas transformações do setor elétrico brasileiro”, afirma Reynaldo Passanezi Filho, presidente da companhia.

Além dos ajustes que contribuíram para os resultados positivos, a publicação da Portaria nº 120 pelo Ministério de Minas e Energia, que estabelece as regras para o pagamento dos ativos não amortizados existentes em maio de 2000, foi outro marco importante de 2016 para a CTEEP. A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) homologou, no ano passado, pagamento de R$ 3,9 bilhões pelos ativos.

Em 2016, a CTEEP e suas subsidiárias investiram R$ 191,8 milhões em reforços, novas conexões e modernizações. O plano de investimentos para 2017, aprovado em novembro pelo Conselho de Administração da Companhia, prevê aporte de até R$ 513,8 milhões para este ano. O foco em eficiência contribuiu para a redução dos custos de operação e manutenção de 8,2%. E o IENS foi da ordem de 6,54.10-6 sobre a carga atendida. Esse resultado que comprova a tendência de diminuição apresentada nos últimos anos.

“Temos de continuar nosso trabalho focados em manter a eficiência das operações e a mesma disciplina financeira, com o objetivo de construirmos bases sustentáveis de crescimento. Os projetos de empreendimentos conquistados no último leilão foram o marco inicial desse desafio”, finaliza Passanezi Filho.

 

 

 

 



Fonte: Redação/Assessoria
Seu Nome:

Seu Email:

Nome do amigo:

Email do amigo:

Comentário:


Enviar