acesso a redes sociais
  • tumblr.
  • twitter
  • Youtube
  • Linkedin
  • flickr
conecte-se a TN
  • ver todas
  • versão online
  • Rss
central de anunciante
  • anunciar no site
  • anunciar na revista
sala de aula

GUIA DO ESTUDANTE

Um grande centro de aprendizagem para o mercado de Petróleo. É só clicar!
artigos por mês

Máquinas inteligentes ameaçam empregos de humanos?

Publicado em 6 de Nov. de 2015 às 06:00 | Por: Lia Medeiros

 

Estimativa é de que mercado mundial para robôs e IA alcance US$ 152,7 bilhões em 2020 - deixando 35% dos funcionários no Reino Unido e 47% nos EUA desempregados

Crescimento de máquinas inteligentes ameaça empregos de humanos?

Nos próximos 20 anos um crescimento exponencial de máquinas inteligentes pode alavancar a desigualdade social - já que os robôs podem assumir qualquer tipo de função, desde cuidar de idosos a virar hambúrgueres na chapa.

 

A medida que evoluem, a tendência é de que as máquinas fiquem cada vez mais inteligentes ao ponto de realizar tarefas analíticas. Isso é o que aponta um estudo realizado por analistas do Merrill Lynch, empresa do grupo Bank of America, e divulgado primeiro pelo The Guardian.

 

Os autores da pesquisa traçaram o que podemos chamar de quarta revolução industrial: depois da produção em massa e dos eletrônicos.

 

De acordo com os analistas, estamos passando por uma mudança de paradigma, a qual irá mudar o modo que vivemos e trabalhamos. A penetravam de máquinas em todos os setores da indústria se tornou parte integrante de nossas vidas.

 

Os autores calculam que o mercado mundial total para robôs e inteligência artificial alcance os US$ 152,7 bilhões em 2020, e estimam que a adoção dessas tecnologias pode melhorar a produtividade em 30% em algumas indústrias.

 

Apesar de a tecnologia apresentar um cenário promissor para o futuro, muitos trabalhadores podem ser substituídos de suas posições: a estimativa é de que 35% dos funcionários no Reino Unido e 47% nos EUA poderão ser atingidos diretamente por conta dessa revolução tecnológica, de acordo com um estudo da Universidade de Oxford.

 

Atualmente existem 66 robôs para cada 10 mil trabalhadores mundialmente falando. No setor de fabricação de automóveis, no quais essas máquinas são amplamente utilizadas, esse número sobe para 1.520.

 

Para os autores, essa é uma consequência clara da adoção de máquinas na indústria e que pode afetar especialmente a camada da base, na qual a remuneração é mais baixa e o trabalho braçal maior. Mas isso não significa que trabalhos de nível acima não serao atingidos: de acordo com um estudo da McKinsey, cerca de US$ 9 trilhões podem ser poupados ao colocar computadores para trabalhar em posições que necessitam realizar tarefas altamente analíticas como calcular taxas de análise de crédito e consultoria financeira.

 

Fonte: IT Forum 365